Anúncios

Porto Alegre enfrentou uma noite e madrugada quentes como raramente experimentou no passado | Fernando Oliveira/Arquivo

Porto Alegre teve neste domingo (23) uma das madrugadas mais quentes de sua história. De acordo com dados da estação automática do Instituto Nacional de Meteorologia, no bairro Jardim Botânico, a temperatura mínima não baixou de 27,1ºC. Muito raramente se viu mínima tão alta quanto a de hoje nos últimos cem anos, apesar de não ter sido recorde. Na onda de calor de 2010, a cidade teve mínima oficial alta recorde de 27,9ºC.

A temperatura oficial se mede no Jardim Botânico, onde estão os equipamentos do Inmet. É uma região mais arborizada e de maior vegetação. Em outros pontos da cidade, pelo efeito das construções que geram a chamada ilha de calor urbano, a temperatura caiu menos e grande parte da noite foi com 30ºC ou mais. Foi o que mostraram estações automáticas particulares com mínimas de 29,1ºC no Centro, 28,9ºC na Auxiliadora e 27,7ºC na Vila Ipiranga.


Foi uma noite muito quente em grande parte do Rio Grande do Sul. À meia-noite, as marcas em estações automáticas particulares eram de 32,7ºC em Santo Antônio das Missões, 32,1ºC em Cerro Largo, 31,9ºC em Parobé, 31,7ºC em Feliz, 31,3ºC em Bossoroca, 30,4ºC em Lajeado e Santa Rosa, 30,2ºC em São Leopoldo, e 30,0ºC em Itaqui.

A maior temperatura na Argentina à 0h era 33,6°C em Reconquista, província de Santa Fé, exatamente a mesma marca no horário de São Luiz Gonzaga. Para se ter ideia, a maior temperatura máxima na cidade de São Paulo em 2022 é de 33,7°C, ou seja, São Luiz Gonzaga em plena madrugada teve o máximo de calor da capital paulista até agora no ano.


O Rio Grande do Sul terá hoje o seu 12º dia seguido com máximas acima de 40ºC. As estações do Instituto Nacional de Meteorologia registraram 41,5ºC em Quaraí no dia 12; 41,7ºC (recorde) em Bagé no dia 13; 40,8ºC em Bagé no dia 14; 40,6ºC em Uruguaiana no dia 15; 41,8ºC em Uruguaiana dia 16; 40,2ºC no dia 17 em Teutônia; 41,1ºC em Santa Rosa em 18 de janeiro; 41,5ºC em São Luiz Gonzaga no dia 19; 42,1ºC em Uruguaiana no dia 20; 41,8ºC dia 21 em Uruguaiana; e 41,6ºC ontem em Uruguaiana.

A massa de ar extremamente quente sobre o Estado associada a um domo de calor se mantém e favorece mais um dia de temperatura por demais elevada e desconfortável neste domingo com calor escaldante na maioria esmagadora dos municípios gaúchos.

Em muitos locais, a tendência é que as máximas não subam tanto como ontem e fiquem 1ºC a 2ºC abaixo do sábado em razão da instabilidade que se formará durante a tarde, o que é pouco consolo em se tratando de marcas ao redor ou acima de 40ºC. Mesmo assim, com as mínimas muito altas, haverá localidades em que a chuva não chegará ou tardará a chegar em que fará tão ou mais calor que ontem.

O sol aparece com nuvens em todas as regiões, mas no Sul gaúcho se espera maior presença de nebulosidade e chuva em alguns pontos já de manhã. Da tarde para a noite ocorrem pancadas de chuva isoladas, sublinhe-se localizadas, na maioria das regiões. Deve chover em maior número de municípios que no sábado e hoje a possibilidade de chuva e/ou temporal na Grande Porto Alegre é média a alta.

É alto o risco de temporais localizados em que podem ocorrer vendavais – alguns fortes e com danos – e queda de granizo, além de chuva intensa em curto período, em diversas regiões do Rio Grande do Sul neste domingo. No final do dia, áreas de instabilidade muito intensas vindas do Uruguai podem atuar na Campanha e no Sul gaúcho com temporais localmente fortes a severos.

Anúncios