Anúncios

A MetSul Meteorologia avalia que o quadro hoje é, tecnicamente, de estiagem na cidade de Porto Alegre. A última ocorrência de chuva em 24 horas superior a 10 mm na estação convencional do Instituto Nacional de Meteorologia, no bairro Jardim Botânico, foi em 5 de dezembro, quando se precipitaram 31,4 mm. Entre o dia 6 de dezembro e 10h da manhã de ontem, a precipitação somou só 20,4 mm no local. Com chuva tão escassa, o calor extremo que se experimentou no final de 2013 e no começo deste ano, e a forte insolação, incêndios em vegetação se proliferaram na Capital e a grama virou literalmente palha (foto abaixo de Samuel Maciel) por toda a cidade. Apesar disso, o nível do Lago Guaíba não é baixo. Estava em 0,79 metro ontem, muito pela chuva mais volumosa que tem caído recentemente nas bacias dos rios que desembocam no delta do Jacuí.



Ao contrário do que possa parecer, não tem deixado de chover em Porto Alegre nas últimas cinco semanas. Tem chovido é muito pouco. Esta é a realidade. Neste período de 6 de dezembro a 9 de janeiro, houve registro de precipitação de ao menos 0,1 mm no Jardim Botânico em nove dias, entretanto a precipitação somou em todos estes casos tão-somente 20 mm. Melhor exemplo foi o que se viu ontem na Capital. Pancada muito breve de chuva foi registrada em alguns bairros da cidade. Em outros não caiu nenhuma gota. Onde choveu foi muito pouco com volumes baixíssimos ou até inapreciáveis. O mesmo Parque Farroupilha que vê seus gramados virarem palha ontem no fim da tarde se cobriu de nuvens muito escuras (foto abaixo de Cléber Spolavori), mas que fizeram muito mais um show no céu do que resultado em precipitação, muito pífia na área central.


A instabilidade da quinta-feira em Porto Alegre foi típica de verão, quando a chuva é de natureza muito irregular na sua distribuição espacial (onde chove) e temporal (quando chove). Nuvens carregadas que se formaram na Serra ontem trouxeram pancadas fortes localizadas e mesmo granizo isolado para a região serrana ontem durante a tarde. Já as nuvens carregadas que se formaram entre o Norte do Vale do Rio Pardo e o Alto Jacuí, e que se deslocaram para a Capital, aqui quase nada provocaram. Foi somente barulho. Impressionante nuvem de desenvolvimento vertical cobriu parte da Capital às 18h e impressionou quem viu. Leitores da MetSul nas nossas redes sociais enviaram dezenas de fotos da instabilidade na Capital.

[galeria:32]

Por conta da nuvem muito carregada (Cb) sobre a área de Porto Alegre ontem no fim da tarde, houve problemas para o tráfego aéreo. Vários voos chegando na Capital do Centro do país precisaram mudar o procedimento de pouso para a pista 29 em função da mudança de vento. Alguns (ver mapas abaixo do site Flight Radar) tiveram que “dar voltas” perto da cidade, esperando que a instabilidade se afastasse. Alguns pilotos relataram vento forte de direções opostas durante a aproximação.



Mas vem chuva para Porto Alegre. Hoje, da tarde para a noite, não pode se descartar que ocorra chuva típica de verão na Capital. No fim de semana, aumenta muito a cobertura de nuvens e a chuva pode ser mais consistente na cidade com chance de precipitação tanto no sábado como no domingo. No decorrer da semana que vem, a atmosfera ainda seguiria instável com possibilidade de pancadas mais quentes na região de Porto Alegre. Recordando que estas pancadas têm grande irregularidade espacial e de volumes, mas não raro podem ser fortes e com temporal isolado. Parece cada vez mais perto o fim do jejum de um evento pontual e/ou temporal de verão com chuva mais forte e volumosa na Capital. (Produção de Alexandre Aguiar)

Anúncios