A fumaça da Austrália está de volta ao Rio Grande do Sul. A imagem de satélite do amanhecer de hoje mostrava uma grande pluma de fumaça sobre o Centro da Argentina e Chile, no Uruguai e no Rio Grande do Sul. Imagens de satélite do começo da manhã e do fim da tarde realçam mais a presença de material particulado na atmosfera.

Ontem, um piloto de empresa aérea argentina registrou a presença de uma camada de fumaça sobre a província de Entre Rios, em altitudes entre sete e oito mil metros. O céu estava praticamente limpo, com apenas algumas nuvens Cirrus, mas parecia encoberto pela presença de fumaça.


Do espaço, a fumaça também pode ser observada da Estação Espacial Internacional (ISS). Câmeras a bordo da estação registraram a presença de muita fumaça no Sul da América do Sul e que avançou para o Rio Grande do Sul pelas correntes de vento de Sul com uma massa de ar frio. 


Monitoramento realizado em Buenos Aires indica que a atual pluma de fumaça, mais densa que a de dias atrás, alcança altitudes de até 10 quilômetros. É o que indica o gráfico divulgado pelo CITEDEF do governo argentino. 

A presença de fumaça deixa o céu mais acinzentado durante o dia e realça as cores do céu ao amanhecer e no fim da tarde. Foi o que se viu nas últimas horas na Argentina e no Uruguai.

Neuquén – Argentina

Maldonado – Uruguai

Como a fumaça está em grande altitude, não há impacto em superfície, seja para a saúde da população ou na visibilidade horizontal em aeroportos e rodovias.