ARTERIS PLANALTO SUL/DIVULGAÇÃO

Temporais de granizo atingiram várias cidades do Rio Grande do Sul nesta terça-feira em um dia de enorme instabilidade atmosférica no estado gaúcho. Na maioria dos locais, as pedras de gelo foram miúdas, mas em alguns pontos do território gaúcho o granizo chegou a apresentar tamanho médio.

LEIA CLICANDO AQUI ALERTA ATUALIZADO DE FORTES TEMPESTADES

Os temporais de granizo, como era esperado, ocorreram principalmente no Sul e no Leste do estado, onde a instabilidade se organizou, enquanto pelo Oeste e o Noroeste ingressava ar muito quente com tempo aberto em situação análoga a de uma frente quente.

Nuvens muito carregadas se formaram do meio para o final da manhã sobre a Metade Leste do Rio Grande do Sul e avançaram em direção à costa, trazendo pancadas de chuva, raios e queda de granizo em diferentes pontos.

A MetSul Meteorologia havia alertado ontem que o maior risco de tempo severo nesta terça no Rio Grande do Sul, no primeiro dia da onda de temporais no Sul do Brasil, era justamente a ocorrência de granizo de variado tamanho.

Na madrugada de hoje, temporal de granizo com pedras de grande tamanho já havia atingido a Grande Buenos Aires, especialmente o Oeste da área metropolitana da capital argentina. O Uruguai também teve registro de granizo entre ontem à noite e hoje cedo.

Seguidores da MetSul Meteorologia relataram queda de granizo em pontos de Santa Vitória do Palmar, Pelotas, Arroio do Padre, Charqueadas, Carazinho, Guaíba, Eldorado do Sul, Camaquã, Tavares, Cidreira, Encruzilhada do Sul, Arroio dos Ratos, Quintão, Tapes, Dom Feliciano, Minas do Leão, Sertão Santana, Caçapava do Sul, Cachoeira do Sul, Antônio Prado, Vacaria, Sentinela do Sul, Rio Grande e Arambaré. É provável que outros municípios gaúchos também tenham registrado granizo.

As área de instabilidade que atuaram no Nordeste gaúcho avançaram, como esperado, para o Leste catarinense também com temporais de granizo. Lontras e Agrolândia, no Alto Vale do Itajaí, foram duramente castigadas com danos. No Planalto Sul, caíram pedras médias em São Joaquim e em Lages foi tanto granizo que a paisagem ficou branca.

A atmosfera estava extremamente propícia à ocorrência de granizo nesta terça, uma vez que se encontrava por demais instável com intenso fluxo de ar quente a partir do Oeste, pressão atmosférica muito baixa e em queda acentuada com valores inferiores a 1.000 hPa e ainda a presença de uma corrente de jato em baixos níveis intensa.

O mais notável foram os índices de instabilidade atmosférica. Os dados coletados pela sonda no balão meteorológico lançado às 9h da manhã de hoje em Porto Alegre mostraram índices que raramente se vê de tão instável que se encontrava a atmosfera.

O Showalter estava em -7, valor baixíssimo para um índice que quanto mais negativo maior é a instabilidade com valores críticos para tempo severo abaixo de -5. Raramente se vê este índice tão baixo na capital.

O Total Totals, outro índice de instabilidade, cujos valores críticos para tempo severo são superiores a 50, estava com 60,2. O índice K, cujos valores críticos são ao redor ou acima de 40, estava em 40,7. Já o índice SWEAT, cujo parâmetro é acima de 300 como favorável a tempestades severas e acima de 400 favorável a tornados, estava em 494.

O risco de granizo prossegue nesta quarta-feira no Rio Grande do Sul, especialmente do Centro para o Leste do estado, onde a instabilidade mais forte deve se concentrar no decorrer do dia. Da tarde para a noite desta quarta, o risco de granizo aumenta muito na Metade Norte gaúcha.

Uma frente fria começa a avançar no estado nesta quarta-feira e encontra a massa de ar muito quente sob um ambiente de bastante baixa pressão atmosférica, o que mantém o risco de tempo severo localizado e desta forma de granizo. Não se pode afastar o risco de granizo médio a grande muito isolado em tempestades severas bastante localizadas.