Anúncios

O que esperar da segunda quinzena de abril no Centro-Sul do Brasil? A segunda metade deste mês vai começar sob influência de uma massa de ar frio que traz temperatura baixa para o Sul, parte do Sudeste e áreas mais a Oeste e Sul da região Centro-Oeste.  É a segunda incursão de ar frio de maior intensidade deste outono até agora e vai trazer geada e possibilidade de marcas negativas nas áreas de maior altitude do Sul, sobretudo de Santa Catarina.


Com a massa de ar frio atuando e trazendo marcas muito abaixo das normais históricas do mês, o reflexo se dá na tendência de anomalia (desvio da média) de temperatura para esta segunda quinzena de abril. Com isso, a tendência é de uma segunda metade do mês com temperatura abaixo da média no Sul do Brasil, em áreas mais a Oeste do Centro-Oeste e mais ao Sul da Região Sudeste.

Por outro lado, o que vem se observando até agora neste mês no Brasil Central com marcas nos termômetros acima a muito acima da média deve prosseguir. Goiás, o Oeste de Minas Gerais e o Triângulo Mineiro, a maior parte do Mato Grosso e o Norte de São Paulo devem ter temperatura acima dos padrões históricos da época do ano com muitos dias de calor ao longo da segunda quinzena de abril.


Os efeitos da massa de ar frio devem se dar principalmente entre os dias 15 e 20 nas áreas que registrarem resfriamento, uma vez que na sequência deve voltar a aquecer. Por isso, o indicativo no mapa de temperatura abaixo da média não deve ser interpretado como marcas inferiores ao normal durante toda a quinzena. Trata-se de uma média dos 15 dias e que é fortemente influenciada pela incursão fria deste feriadão de Páscoa e outra que se espera mais para o final do mês.

Quando há o ingresso de uma massa de ar frio associada a um centro de alta pressão o efeito costuma ser secar a atmosfera, exceção de áreas costeiras que sofrem a influência de umidade que vem do mar e costumam ter chuva pela circulação oceânica. Por isso, o indicativo é de precipitação próxima ou abaixo da média nesta segunda metade de abril em grande parte do Sul do país. Eventuais desvios positivos de precipitação serão localizados.

No Brasil Central, a tendência é de manutenção de chuva muito abaixo da média, sobretudo em Goiás, parte de Minas Gerais e no Mato Grosso, mas deve chover pouco também em vários outros pontos do Sudeste e do Centro-Oeste. Na Região Sudeste, áreas mais próximas da costa é que devem ter acumulados de precipitação mais altos, especialmente no litoral de São Paulo.

É absolutamente normal que em abril comece a diminuir a chuva na maior parte do Centro-Sul do Brasil à medida que chega ao fim a estação chuvosa, mas neste ano o período março-abril está mais chuvoso que o normal até o momento em vários pontos do Sul e muito seco e com precipitações bastante abaixo da média em diversas áreas mais ao Centro do território brasileiro.

Anúncios