Anúncios

Os entusiastas e observadores das auroras boreais tiveram uma surpresa ao avistarem as luzes verdes dançando nos céus do Alasca: uma espiral azul claro semelhante a uma galáxia apareceu no meio da aurora por alguns minutos no começo do sábado.

A causa não teve nada de excepcional. Nem um portal ou invasão alienígena. Foi simplesmente o excesso de combustível que foi liberado de um foguete SpaceX lançado da Califórnia cerca de três horas antes do aparecimento da espiral no céu.


Às vezes, os foguetes têm combustível que precisa ser descartado, disse o físico espacial Don Hampton, professor associado de pesquisa do Instituto Geofísico Fairbanks da Universidade do Alasca, à agência Associated Press.

“Quando eles fazem isso em grandes altitudes, esse combustível se transforma em gelo”, disse ele. “E se acontecer de estar na luz do sol, quando você está na escuridão no chão, você pode vê-lo como uma espécie de grande nuvem, e às vezes é um redemoinho”.

O foguete que decolou da Base da Força Espacial de Vandenberg, na Califórnia, na noite de sexta-feira, tinha cerca de 25 satélites como carga útil. Foi um lançamento polar, que o tornou visível em uma grande faixa do Alasca.

Anúncios