Anúncios

Se havia alguma dúvida que o ciclo solar está perto do pico, o sol fez questão de deixar claro nas últimas horas que não. Sondas da NASA registraram ontem uma explosão solar de classe X, a mais intensa de todas, emitindo um imenso pulso de radiação de energia que foi capturado em vídeo pela espaçonave Solar Dynamics Observatory da NASA.


Os físicos solares classificam as explosões fortes em três categorias, sendo C a mais fraca, M o grupo médio e X a mais potente. A explosão, que ocorreu às 14h02 da quinta foi classificada como X2.8.

A explosão de classe X2.8 tornou-se a mais poderosa desde setembro de 2017 e a mais intensa do atual ciclo solar 25. Ela se originou da mancha solar AR13514, que vem gerando sucessivas explosões nos últimos dias e se encaminha para o lado oposto da estrela, não voltado para a Terra.

As explosões poderosas, como a de ontem, são frequentemente acompanhadas por ejeções de massa coronal (CMEs), que enviam enormes nuvens de plasma solar para o espaço a milhões de quilômetros por hora. A ejeção liberada, porém, parece não ter sido voltada para a Terra.

As ejeções que atingem a Terra podem gerar tempestades geomagnéticas, que podem perturbar as redes elétricas e outras infraestruturas. Essas tempestades também aumentar as auroras e levá-las até latitudes médias, tornando os espetáculos de luz celestial mais intensos e visíveis em áreas maiores.

A atmosfera da Terra impede que a radiação prejudicial das explosões solares atinja o solo, mas a radiação ainda pode afetar a sociedade, por exemplo, impactando sinais enviados pelo GPS e pelos satélites de comunicação, e ainda causando apagões de rádio.

“Este é provavelmente um dos maiores eventos de rádio solar já registrados. Interferências de comunicação de rádio com aeronaves foram relatadas por várias unidades de serviço meteorológico do Serviço Nacional de Meteorologia localizadas em instalações da Agência Federal de Aviação”, informou o Centro de Previsão do Tempo Espacial da NOAA sobre a explosão de ontem.

As explosões solares de classe X representam os eventos mais poderosos e intensos que ocorrem no Sol. Essas explosões são categorizadas de acordo com sua intensidade, sendo a classe X a mais alta na escala. Elas liberam uma quantidade extraordinária de energia, incluindo luz visível, raios-X e partículas carregadas.

As explosões solares ocorrem devido às mudanças na complexa dinâmica do campo magnético solar. O Sol possui um campo magnético que está constantemente mudando e se rearranjando. À medida que essas mudanças ocorrem, a energia magnética armazenada é liberada em forma de explosões solares. Esses eventos são mais frequentes durante o período de atividade solar máximo, que ocorre aproximadamente a cada 11 anos, o que se espera ocorra entre 2024 e 2025.

 

Anúncios