Anúncios

A MetSul Meteorologia recebeu relatos, fotos e vídeos de diversos municípios do Rio Grande do Sul de precipitação com fuligem que deixou a água escura. Os relatos vieram de municípios como Camaquã, Santa Maria e Caçapava do Sul, dentre outros.


Imagem de satélite da manhã de ontem (acima) mostrava um corredor de fumaça originado na região amazônica e descia até o território gaúcho. Aqui no Estado, material particulado oriundo das queimadas (carbono negro) se misturou às nuvens e se precipitou junto com a chuva. Por isso, em diversas localidades a água de piscinas, bacias e baldes expostos na rua ficou escurecida. Assim como ocorreu na cidade de São Paulo no mês passado.


E o corredor de fumaça anteontem e ontem era tão denso como o que chegou ao Sul do Brasil na terceira semana de agosto. Na terça, em muitas localidades do Norte gaúcho, mesmo com o céu quase sem nuvens, o sol era perceptível apenas como um pequeno ponto laranja no céu. O mesmo se repetiu em Santa Catarina e no Paraná.

Torres (Gabriel Zaparolli)

Pato Branco (Clovis Padoan Filho)

Ontem, com calor de 35ºC e o tempo aberto, a visibilidade caiu a apenas 4 mil metros em Foz do Iguaçu devido à fumaça. Mal se podia ver o sol na cidade do Oeste do Paraná.

Foz do Iguaçu (Alexandre Bitte)

Modelos de dispersão de aerossóis indicam que o corredor de fumaça seguirá no Sul do Brasil hoje e amanhã, sobretudo em Santa Catarina e no Paraná, com possibilidade de precipitação de fuligem em alguns pontos.

 

Anúncios