Uma massa de ar seco e frio de fraca intensidade será responsável por um fim de semana de temperatura agradável no Rio Grande do Sul com marcas baixas durante a noite e formação de geada em algumas localidades gaúchas. O sábado amanhece com temperatura de 4ºC a 5ºC na Campanha e na Serra do Sudeste.

O sol aparece de manhã neste sábado na maioria das regiões gaúchas, mas a primeira metade do dia ainda tem maior nebulosidade e chance de precipitação em pontos no Nordeste e no Norte do estado. Choveu no começo da madrugada, por exemplo, em Porto Alegre que terá um dia de sol e nuvens.


No decorrer do dia, ar seco e frio de alta pressão avança e à tarde o céu estará claro em muitas áreas. A tarde, por sua vez, será amena. Volta a fazer frio à noite. A Grande Porto Alegre deve ter máximas ao redor de muito agradáveis 20ºC.

O sol aparece em todo o Rio Grande do Sul neste domingo, embora no decorrer do dia se espere o ingresse de nuvens médias e altas no estado. Uma massa de ar seco e frio de alta pressão atmosférica favorece uma madrugada fria com chance de geada fraca e isolada em pontos da região de Soledade e da Serra do Nordeste.

Nevoeiro e neblina isolados ao amanhecer. Com o sol, aquece rapidamente e a tarde será muito agradável com máximas de 23ºC a 24ºC na área metropolitana. No fim do dia, não se pode afastar instabilidades localizada no Médio e Alto Uruguai.


Ciclone bomba atua neste fim de semana no Leste da Argentina, mas não terá grande impacto no Rio Grande do Sul. Um ciclone bomba, tecnicamente chamado ainda de bomba meteorológica, é o que a pressão atmosférica central cai ao menos 24 hPa em 24 horas, o que vai ocorrer neste.

Os impactos mais fortes deste ciclone extratropical devem ser sentidos na costa atlântica da província de Buenos Aires e no Sul do Uruguai, que terão um fim de semana bastante ventoso. As rajadas ficarão perto de 100 km/h na costa atlântica de Buenos Aires e entre 70 km/h e 90 km/h em Punta del Este, no Uruguai.

Como o ciclone vai estar muito ao Sul, desta vez o Rio Grande do Sul escapa do pior. Os efeitos em termos de vento não devem ser significativos. Litoral Sul, especialmente entre o Chuí e Rio Grande, deve ter as rajadas fortes, em média de 50 km/h a 70 km/h, mas isoladamente superiores.

Mais ao Norte, pela maior distância do campo de vento intenso, não são esperadas rajadas de vento intensas. Por isso, Porto Alegre e o Litoral Norte terão tempo por vezes ventoso hoje, mas sem risco maior.


Por outro lado, o campo de vento muito intenso sobre o mar no Atlântico Sul será bastante extenso e o ciclone deve permanecer quase estacionário a Leste da Argentina por cerca de 24 a 30 horas.  Isso vai gerar uma grande agitação marítima e swell que deve alcançar a costa do Rio Grande do Sul com provável ressaca do mar na costa gaúcha no início da semana.

Já em alto mar, longe da costa, conforme alertas de mar grosso da Marinha do Brasil, as ondas podem passar de sete metros. Perto do centro do ciclone, a Leste da Argentina, onde estará o vento mais forte, modelos de ondas indicam vagas de até 33 pés (10 metros).