Anúncios

Frio desta semana deve ficar entre os mais intensos da história recente do Sul do Brasil | Mycchel Legnaghi

O Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) e os principais centros meteorológicos públicos estaduais do Sul do Brasil alertam que a onda de frio que começa amanhã será uma das mais intensas – e não a mais intensa – a atingir a região no século até agora, o que a MetSul havia antecipado em boletim especial na última sexta-feira antes as projeções de frio atipicamente forte no Sul do país nesta semana.

A Epagri-Ciram, o centro meteorológico do estado de Santa Catarina em boletim que foi divulgado no domingo enfatizou que esta massa de ar polar tem potencial para superar ondas de frio históricas como as do ano 2000 e 2013. “Se a previsão se confirmar, a massa de ar polar deve ser a mais forte do inverno de 2021, se igualando e até superando massas que atuaram em julho dos anos 2000 e 2013”, informou o órgão catarinense.


Santa Catarina possui estações com histórico de dados mais recentes em que a quebra de recordes é mais fácil de ocorrer diante de um evento de frio tão intenso. No caso do Rio Grande do Sul, onde as séries são de até 110 anos, como antecipou a MetSul, a possibilidade de recordes históricos está descartada na esmagadora maioria das estações meteorológicas.

O centro meteorológico de Santa Catarina destacou ainda que pela grande intensidade do ar polar há possibilidade desta incursão de ar polar ser recorde com quebras de recordes até absolutos (de toda a série histórica de estações). “O pacote de frio deve ser completo, novamente com quebra de recorde de temperatura mensal e absoluto na maioria das regiões, temperatura negativa com geada generalizada em Santa Catarina, mais forte nas áreas altas do estado, com possíveis prejuízos para a agricultura. Outros setores, como pecuária, piscicultura e carcinicultura também podem ser afetados devido ao frio intenso”, advertiu a Epagri-Ciram no seu comunicado.

O Instituto Tecnológico Simepar, o centro meteorológico do estado do Paraná, foi na mesma linha do instituto catarinense ao recordar a grande onda de frio de 2013, a mais memorável para os paranaenses neste século até agora por ter trazido neve para dezenas de cidades do Paraná e em diversas regiões do estado, o que nem a MetSul nem o instituto paranaense antecipam deve se repetir neste evento.

“Essa forte onda de ar frio esperada para a próxima semana e que vai manter o tempo gelado por vários dias no Paraná deve apresentar semelhanças com o evento ocorrido em julho de 2013, o qual provocou temperaturas negativas ou muito baixas por uma semana e causou formação de geadas generalizadas em todo o estado”, previu o Simepar em seu informe publicado no Facebook.

O Instituto Nacional de Meteorologia igualmente ressalta que esta onda de frio poderá ser uma das mais fortes a atingir o Brasil neste século até agora (2001-2021). Em entrevista ao programa Gaúcha Atualidade da Rádio Gaúcha na manhã de hoje, o meteorologista Marcelo Schneider do Sétimo Distrito (São Paulo e Mato Grosso do Sul) do órgão meteorológico nacional fez questão de ressaltar o quão rara será a intensidade desta onda de frio no histórico deste século.

– O frio vai ser bastante intenso. A gente deve ter uma das ondas de frio mais fortes desde o ano 2000. O que vai chamar a atenção é a temperatura no nível de 1.500 metros. Esta é uma medida que o meteorologista utiliza pra identificar o potencial desta massa de ar polar. Poucas vezes em anos recentes ela esteve tão baixa na previsão. Em 20 anos deve ser a terceira ou quarta onda de frio mais forte na capital paulista. São três ou quatro eventos nos últimos 20 anos pegando com esta abrangência [no Brasil]”, disse Schneider.


A MetSul Meteorologia previu em seus boletins índices de sensação térmica por efeito do vento pela fórmula do National Weather Service dos Estados Unidos de até 1ºC ou 2ºC negativos em Porto Alegre, de 10ºC a 20ºC negativos nos Aparados da Serra e de até 20ºC a 25ºC abaixo de zero nos picos de Santa Catarina como o Morro das Antenas e o Morro da Igreja. O meteorologista do Instituto Nacional de Meteorologia, na mesma linha, previu valores extremos de sensação térmica para as áreas de maior altitude do Sul do Brasil.

Assine gratuitamente nossa newsletter para notícias e alertas

– Porto Alegre deve ter -1ºC ou -2ºC de sensação. Não descarto, sem exagerar, sensação térmica de 10ºC ou 15ºC abaixo de zero para a região serrana. Na sexta-feira a geada será generalizada e na região da Serra pode ser muito forte com risco de prejuízo pela temperatura de 6ºC a 7ºC abaixo de zero. Pode ter geada negra. É quando a temperatura na planta fica negativa e a geada não aparece branca, concluiu.

Anúncios