Anúncios

Imagens de satélite impressionantes mostram a ferocidade dos incêndios florestais que atingem o Chile neste momento. O país enfrenta devastadora e assustadora onda de incêndios em vegetação. São mais de duzentos focos de incêndios, a maioria ainda sem controle.


O fogo deixou até agora um saldo de treze mortos. Foram onze vítimas na cidade de Santa Juana. Um piloto e um mecânico perderam a vida na queda de um helicóptero que caiu durante os esforços de combates às chamas.

O governo chileno declarou estado de calamidade depois que uma onda de calor devastadora e fortes ventos provocaram os grandes incêndios florestais. A declaração permite a coordenação com os militares e a suspensão dos direitos constitucionais.


Mais de 2.300 bombeiros e 75 aeronaves foram mobilizados para combater os incêndios. O presidente Gabriel Boric suspendeu suas férias para visitar as áreas sob fogo e afirmou que há evidências de que alguns dos incêndios foram iniciados por queimadas não autorizadas.

Com temperaturas elevadas e ventos fortes, o combate aos incêndios é dificultado. Ontem, as temperaturas atingiram marcas recordes na região assolada pelo fogo. Chillan, onde fez 41,6ºC, e Concepción, com máxima de 34,4ºC, tiveram recordes absolutos de temperatura máxima.

Mesmo os mais experientes meteorologistas mundiais, especialistas em incêndios florestais, se dizem impressionados com as imagens de satélite do Chile neste momento com múltiplos focos de fogo gerando uma enorme quantidade de fumaça que é carregada pelo vento na direção do Pacífico.

Segundo autoridades, os mais de 200 incêndios arrasaram mais de 47.000 hectares e deixaram 97 residências totalmente destruídas e 22 feridos. O fogo se concentra na região de Araucanía e Concepción, centenas de quilômetros ao Sul de Santiago.

A quantidade de fumaça no céu é tão grande nas áreas mais afetadas pelo fogo, como é o caso da cidade de Santa Juana, que em vários pontos da região a paisagem ganhou ares apocalípticos com o céu laranja e marrom com redução de visibilidade.

As animações das imagens de satélite revelam a gravidade da situação pelo fogo neste momento no Chile com uma enorme quantidade de focos de calor na região de Concepción e densas nuvens de fumaça marrom avançando centenas de quilômetros.

Os incêndios florestais no Chile, perto de Concepción, cresceram de forma explosiva durante a sexta-feira, emitindo plumas de #fumaça muito grandes e muito espessas (sombreamento vermelho escuro) que sopram para Noroeste sobre o Oceano Pacífico, como mostra a imagem composta de profundidade óptica de aerossol (AOD) do satélite GOES-16.

A situação, que está longe de ser controlada, traz à memória a catástrofe vivenciada nessa região no começo de 2017. Na época, um megaincêndio florestal deixou 11 mortos, cerca 6.000 atingidos, mais de 1.500 casas destruídas e 467.000 hectares afetados. O Chile enfrenta uma mega seca que dura mais de uma década e levou ao desaparecimento de alguns reservatórios de água do país.

Assim como naquele ano, os focos de incêndio começaram em áreas de cultivo e em bosques, e avançaram até ameaçar e afetar áreas povoadas. O tráfego por uma das rodovias principais que leva à cidade de Concepción (510 quilômetros ao Sul de Santiago) teve que ser restringido desde ontem pela proximidade das chamas.

Anúncios