Anúncios

O furacão Iota devastou as ilhas colombianas de San Andres e Providencia ao passar pela região entre categorias 4 e 5 na escala Saffir-Simpson com ventos máximos de 260 quilômetros por hora.

O presidente colombiano, Iván Duque informou que 98% da infraestrutura da ilha de Providencia foi destruída e ao menos uma morte foi registrada.

A ilha de 17 quilômetros quadrados tem cerca de 6.000 habitantes e faz parte do arquipélago de San Andrés, Providencia e Santa Catalina, localizado a cerca de 700 quilômetros da parte continental do país.

O hospital da ilha perdeu parte do teto e o arquipélago se encontra sem luz, segundo o coronel John Fredy Sepúlveda, comandante da polícia local. Vários turistas estão presos em seus locais de hospedagem, informou.

Duque, que se deslocou para o arquipélago, anunciou o envio de um navio de guerra com 15 toneladas de alimentos, material médico, entre outros, e cerca de duas centenas de militares.

Iota é o 30º ciclone nomeado no Atlântico Norte em 2020, superando o recorde de 2005 de 28. Já são quatro furacões intensos (categoria 3 ou superior) formados em outubro e novembro. Antes de 2020, o máximo era de dois.

Só dois furacões categoria 5 tocaram terra na Nicarágua até agora, Edith (1971) e Felix (2007). Iota é ainda o primeiro furacão categoria 5 nomeado pelo alfabeto grego. Desde 1932 não se registrava um furacão categoria 5 tão tardiamente. O único antes era o de Cuba de 1932.

Anúncios