Anúncios

Christian Pulisic, dos Estados Unidos, no jogo contra Honduras sob sensação térmica de 25ºC abaixo de zero no jogo pelas eliminatórias da Copa do Mundo no Allianz Field, em St. Paul, Minnesota. | DAVID BERDING/GETTY IMAGES /AFP/METSUL METEOROLOGIA

Em uma gélida noite em Minnesota, os Estados Unidos venceram a já eliminada Honduras por 3 a 0 e se consolidaram no segundo lugar das eliminatórias da Concacaf para a Copa do Mundo do Catar. O grande destaque do jogo, entretanto, foi o frio extremo que fez com que dois atletas da seleção hondurenha sofressem hipotermia. Jogadores das duas seleções jogaram com várias camadas de roupas e alguns com balaclavas cobrindo suas cabeças.

A realização da partida sob condições excepcionais de temperatura baixa e insalubres para pessoas desacostumadas ao frio extremo gerou uma série de protestos por parte da delegação de Honduras. O técnico hondurenho Hernán Gómez era um dos mais indignados. “É difícil, muito complicado. O futebol não é para sofrer. Eu tenho no vestiário todos os rapazes com mal-estar, há jogadores tomando soro. Não posso analisar os rapazes neste tipo de ambiente e clima de jogom, reagiu.


Os atletas Romell Quito e Luis López tiveram que ser substituídos no intervalo da partida e foram diagnosticados com hipotermia. A temperatura no estádio do estado de Minnesota era de -15°C no começo da partida e, de acordo com a imprensa local, baixou para -20°C no fim do jogo. A sensação térmica por efeito do vento chegou a -25°C.

O treinador norte-americano defendeu a realização da partida sob frio extraordinário. Após o confronto, Gregg Berhalter afirmou que o frio é uma vantagem em seus jogos como mandante e que deve ser aproveitado. “Queremos ganhar os nossos jogos em casa”, sublinhou.

“Consideramos que o nosso campo é uma vantagem e que as condições de jogo a que os rivais não estão habituados também são uma vantagem para nós. Também vamos para outros países e está 32ºC e uma umidade insuportável. Os meninos ficam desidratados e ficam com cãibras e exaustão pelo calor. Essa é a natureza da nossa competição”, disse o treinador dos Estados Unidos.

Em três lances de bola parada, os Estados Unidos derrotaram Honduras com gols de Weston McKennie aos 8 minutos, Walker Zimmerman aos 37 e Christian Pulisic completando a goleada no segundo tempo, aos 68, no Allianz Field de Saint Paul, em Minnesota. Faltando três partidas para disputar, os Estados Unidos somam 21 pontos e ocupam uma das três posições que dão acesso direto ao Mundial do Catar, com três pontos a mais que o México e quatro de vantagem sobre o Panamá.

A seleção que terminar em quarto lugar vai disputar uma repescagem contra o vencedor do torneio classificatório da Oceania. Honduras, que no domingo havia ficado sem chances de classificação, segue no fundo do poço da tabela com 3 pontos e emenda cinco derrotas desde que o colombiano Hernán ‘Bolillo’ Gómez assumiu o comando da equipe.

Anúncios