Anúncios

Diversas regiões do Estado amanheceram no sábado com temperatura mínima perto de 10ºC, o que não é nada comum em janeiro. Quatro estações meteorológicas acusaram mínimas de um dígito: Morro Redondo (7,1ºC), Bagé (8,9ºC), Quaraí (9,1ºC) e Canguçu (9,3ºC). Resultado de uma massa de ar frio de forte intensidade para esta época do ano. A frente fria que antecedeu a massa de ar frio provocou tempo muito severo no Uruguai no final da tarde e começo da noite da quinta-feira. Fortes áreas de instabilidade pré-frontais afetaram o Sul do Uruguai, especialmente Montevidéu e Canelones, regiões que experimentaram danos. O que mais impressionou na célula de tormenta foi a nuvem arco que avançou sobre o Sul do Uruguai.



Chegada do temporal em Santa Monica, cerca de 25 quilômetros de Punta del Este, em registro de Luqitaa Knowles/Facebook


Temporal sobre o Rio da Prata em Montevidéu por Javier Kuropatwa


Temporal em Montevidéu e Canelones por Granjero Willy, Julio Pereyra e Klara Acos

Os temporais da quinta-feira não foram generalizados no Uruguai, país que teve uma série de eventos de tempo severo em dezembro com 13 mortes. Desta vez, o episódio foi mais localizado e atrelado a uma potente célula de tempestade sobre o Rio da Prata que podia ser vista tanto de Buenos Aires como de Montevidéu. Imagem do satélite da NASA que possui radares onboard captaram a célula de tempestade isolada com nuvem de grande desenvolvimento vertical que afetou o Sul uruguaio.


O pior no Uruguai ficou reservado para a localidade de Progreso, no departamento de Canelones, vizinho a Montevidéu. Houve queda de granizo de grande tamanho, segundo alguns relatos da imprensa local de até 8 a 10 centímetros de diâmetro, com extensos danos nas áreas urbanas e rurais. Vidros e janelas de casas foram destroçados assim como telhados pelo gelo. Vitrines de lojas e vidros de automóveis também não resistiram às pedras. Numa concessionária da marca Ford, os pára-brisas dos carros zero quilômetro pareciam ter sido alcançados em um tiroteio. (imagens do jornal El Observador).


No Rio Grande do Sul, as consequência da passagem da frente fria foram menores que no país vizinho. No início da noite de quinta-feira é que forte temporal atingiu Capão da Canoa, no Litoral Norte. A lona de um circo veio abaixo, houve destelhamentos de casas, alagamentos e milhares de pessoas ficaram sem luz na praia. Nas demais regiões do Estado, as áreas de instabilidade da quinta-feira foram muito mais “fotogênicas” que produtoras de fenômenos severos ou destrutivos.


Virada do tempo quinta-feira em Porto Alegre por Fernando Mainar


Impressionante nuvem arco em Pelotas por Guilherme Schild



Mau tempo registrado por Joni Pel (Pelotas), Leonardo Zortea (Bento Gonçalves) e Sávio Costa Borges (Dom Pedrito)

Assine gratuitamente nossa newsletter para notícias e alertas

Como é comum no verão, as massas de ar frio deixam o território gaúcho tão rapidamente quanto chegam. Por isso, ar mais quente já começa a ingressar no Estado hoje pelo Oeste e o Norte, trazendo tarde de máximas bem mais altas que a do agradável sábado. O ar quente será bastante reforçado ao longo da semana, o que levará à primeira onda de calor de 2013 no Rio Grande do Sul com temperatura muito alta nos próximos dias, sobretudo na segunda metade da semana. As máximas poderão atingir valores ao redor dos 40ºC no Centro e no Oeste do Estado. No final desta semana, a atmosfera se instabiliza novamente, o que provavelmente resultará em temporais isolados, até fortes, especialmente entre a quinta e a sexta no Uruguai e na Argentina, onde as tempestades podem ser mais severas.

Anúncios