Não é todo dia que se testemunha o que viu no Rio Grande do Sul hoje. Máximas de até 33,9ºC, como a ocorrida em Santa Cruz do Sul, se dão mesmo inverno e são comuns no verão. Incomum é no mesmo dia que a temperatura chega a 33,9ºC, o Estado ter amanhecido com 0,3ºC negativo, marca anotada em Ausentes. Foi o 11º dia seguido de mínima negativa no Rio Grande do Sul, e possivelmente o último da sequência, uma conseqüência do ar seco no território gaúcho. Tanto que a máxima na mesma estação de São José dos Ausentes que acusou mínima abaixo de zero ao amanhecer foi de 24,4ºC à tarde.


Porto Alegre teve máxima de 31,7ºC na zona Norte e lindo entardecer de sol e nuvens – Foto de Cristiano Aita Noro

As máximas superaram 30ºC nos vales, Grande Porto Alegre, Capital, Centro, Noroeste, Missões e no Oeste. Foram as marcas mais altas até agora neste inverno, mas não incomuns para agosto, habitualmente marcado por extremos de frio e calor. Outra curiosidade da quinta-feira é que enquanto SAusentes amanhecia com 0,3ºC negativo, Santa Maria tinha 25ºC às 7h da manhã, efeito das rajadas de vento Norte quente e seco que, interagindo com o relevo local, provocam disparada da temperatura em plena noite na cidade em fenômeno conhecido como aquecimento adiabático. Fez calor ainda em Santa Catarina, onde nos aeroportos as máximas chegaram a 29ºC em Florianópolis e 33ºC em Criciúma. Enquanto várias regiões gaúchas tinham mais de 30ºC, o Chuí passou a tarde toda com temperatura entre 11ºC//12ºC, e com vento. Efeito do ar mais frio no Uruguai que manteve a quinta chuvosa, com vento e fria na capital uruguaia, onde Montevidéu teve tarde com 10ºC.

Tem mudança a caminho ! A frente fria que hoje atuuou no Uruguai com chuva, rajadas de vento e frio avançará pelo Rio Grande do Sul ao longo desta sexta-feira. A nebulosidade aumenta e chove já na madrugada e de manhã na Metade Sul e parte do Oeste. Por sua vez, na Metade Norte, o começo do dia ainda é de tempo seco e quente com sol e nuvens, mas as nuvens aumentam bastante e chove da tarde para a noite. Há até o risco de chuva forte localizada e menor de temporais isolados de vento e granizo. Modelos numéricos analisados pela MetSul Meteorologia indicam que a máxima atividade frontal nesta sexta=feira se daria na Metade Sul, logo é a região que parece propícia a registrar os volumes de chuva mais altos. E a temperatura ? Na Metade Sul do Estado, onde o tempo se instabiliza cedo e a massa de ar frio atua, o dia será de temperatura baixa (até durante a tarde) ao passo que na Metade Norte gaúcha, mesmo que o calor de ontem não se repita com a mesma intensidade, ainda haverá abafamento. Em Torres e outras cidades próximas da divisa com o estado de Santa Catarina, a sexta-feira deve ser quente e abafada durante o dia.


Projeção (de refletividade) do modelo WRF indica instabilidade avançando rapidamente na primeira metade da sexta

O padrão nos primeiros 10 dias de agosto deve ser típico de bloqueio atmosférico em que o Rio Grande do Sul ficará numa área de transição entre ar mais frio de Sul e ar quente de Norte. Em alguns momentos, o ar frio de Sul conseguirá avançar para o Estado, trazendo chuva e queda de temperatura, e em outros o ar quente e seco do Brasil avançará até o Uruguai, proporcionando que o tempo abra no território gaúcho com sol e calor. Este vai-e-vem das massas de ar fará com que o período seja de tempo mais instável com alguns dias de chuva. As frentes não conseguirão progredir para o Sudeste do Brasil e, com isso, os maiores volumes de chuva sobre o Sul do Brasil no período devem se dar sobre o Rio Grande do Sul, não se descartando pancadas fortes localizadas de chuva e temporais isolados pela interação entre a umidade e o ar mais quente de Norte. Como em situações de bloqueio atmosférico os modelos numéricos de previsão do tempo costumam apresentar grandes oscilações em suas projeções a cada saída, podem ser esperadas alterações radicais de previsão do tempo/temperatura de um dia para o outro durante eesta primeira metade agosto.