Anúncios

Abrangente e intensa massa de ar frio avança neste momento pelo Brasil, trazendo acentuado declínio da temperatura e marcas invernais.  O frio atingirá até o meio da semana praticamente metade dos estados brasileiros e alcançará até algumas áreas do Norte e do Nordeste do Brasil. Vários estados devem ter geada e não se descarta a possibilidade de neve ou chuva congelada nos três estados do Sul.


A massa de ar frio já se fez sentir hoje no Rio Grande do Sul, onde começou a ingressar no final do domingo e traz uma segunda-feira com temperatura de inverno. O amanhecer foi gelado em diversas regiões. Conforme dados do Instituto Nacional de Meteorologia, as mínimas hoje foram de 2,4ºC em Quaraí, 3,5ºC em Santiago e 3,8ºC em Soledade.

Fez ainda hoje cedo 4,0ºC em Bagé e Cruz Alta, 4,3ºC em Alegrete e Encruzilhada do Sul, 4,4ºC em Livramento, 4,5ºC em Ausentes, 4,6ºC em Ibirubá e Tupanciretã, 5,0ºC em Uruguaiana, São Vicente do Sul e Caçapava do Sul, 5,1ºC em Palmeira das Missões, 5,2ºC em Camaquã, 5,5ºC em Jaguarão e Cambará do Sul, e 5,7ºC em São Gabriel.


Na Argentina, o frio foi muito intenso com mínimas de -12,0ºC em Maquinchao, -5,6ºC em Chapelco, -5,3ºC em Uspallata, -5,0ºC em Perito Moreno e Villa Reynolds, -4,7ºC em Malargue, -4,1ºC em El Bolsón, -3,7ºC em Neuquén, -3,2ºC em Calafate, -2,4ºC em Esquel e -2,2ºC em Bariloche. Na Grande Buenos Aires, a mínima desceu a 5,9ºC no Aeroporto Internacional de Ezeiza. A massa de ar frio avança pelo interior do continente e atinge ainda o Paraguai, a Bolívia e o Peru.

O avanço da massa de ar frio pelo Brasil

A temperatura já tombou no Sul do Brasil e no Mato Grosso do Sul e o ar frio se desloca já nesta segunda para São Paulo, partes de Goiás e Minas Gerais. Entre esta terça e a quarta, o ar frio toma conta de grande parte do Sudeste e do Centro-Oeste do país com frio muito intenso em especial no Mato Grosso do Sul, interior paulista, Sul de Goiás e no Triângulo Mineiro.

Durante a segunda metade da semana, o ar frio domina o Centro-Oeste, o Sul e o Sudeste do Brasil e vai chegar até em algumas áreas do interior da Bahia e do Norte brasileiro. Veja na sequência de mapas com a anomalia de temperatura em 850 hPa (nível de 1500 metros) como o ar frio vai progredir e tomar uma extensa área do território brasileiro.

O frio vai chamar atenção pelas mínimas principalmente no Centro do Brasil com mínimas muito baixas para o mês de maio principalmente em estados do Centro-Oeste e do Sudeste, onde muitos municípios devem ter mínimas abaixo de 5ºC na segunda metade desta semana.  O ciclone no Sul vai injetar ar mais seco no Brasil Central, favorecendo o forte resfriamento.

Frio no Sul do Brasil

A forte massa de ar frio no Sul do Brasil terá a sua maior intensidade entre amanhã e quarta. As mínimas não devem ser muito baixas devido às nuvens da circulação ciclônica, mas as máximas serão baixas com tardes muito frias principalmente amanhã e na quarta. Alguns pontos das regiões serranas podem ficar 48h a 72h seguidas com marcas abaixo de 10ºC.

As menores mínimas devem ocorrer na sexta e no próximo fim de semana, quando a circulação de umidade de áreas de baixa pressão cessar e o tempo ficar mais aberto e com ar seco. Será quando o frio deve ser mais intenso no Sul do Brasil com marcas de até 5ºC ou menos na Grande Porto Alegre e de até 3ºC ou 4ºC nos Aparados da Serra ou 5ºC negativos ou menos no Planalto Sul Catarinense.

Frio incomum para maio no Centro do Brasil

Se o frio não será histórico no Sul, no Centro-Oeste e no Sudeste do Brasil a temperatura deve cair a valores extremamente baixos e incomuns para esta época do ano. O ciclone na costa do Sul fará com que o ar gelado avance pelo interior do continente com atmosfera mais seca e ingresse no Centro-Oeste e depois no Sudeste do Brasil, proporcionando madrugadas de frio atípico para maio nestas regiões.

O frio atingirá com força atípica para esta época do ano São Paulo, Mato Grosso do Sul e Mato Grosso, mas deve ser incomum em intensidade para maio principalmente em Goiás, Distrito Federal e Minas Gerais. Vai gear em grande número de cidades destes estados com marcas abaixo dos 5ºC. Pode gear mesmo em locais onde o fenômeno é menos comum, até em massas de ar frio intensas de inverno, como o Centro-Sul do Mato Grosso, o Centro de Goiás e áreas do Distrito Federal, e do Sul ao Norte de Minas Gerais, inclusive a Grande BH.

As mínimas devem ser muito baixas nas capitais do Centro do Brasil. A cidade de São Paulo terá mínimas de 8ºC a 10ºC quarta, quinta, sexta e sábado no Mirante de Santana, mas em bairros do Sul da capital paulista fará 5ºC a 7ºC. No interior de São Paulo, muitas cidades terão entre 2ºC e 5ºC na segunda metade da semana com marcas localmente inferiores, o que vai trazer geada em grande número de localidades paulistas e moderada a forte em alguns pontos.

Máximas muito baixas para os padrões locais e com forte vento no Rio de Janeiro na segunda metade da semana, com as menores mínimas de 13ºC a 15ºC no próximo fim de semana e na segunda. Belo Horizonte deve ter entre 6ºC e 7ºC na quinta e na sexta e ao redor de 9ºC ou 10ºC sábado, mas na Grande BH haverá marcas menores e com geada isolada em zonas rurais.

Campo Grande deve ter entre 7ºC e 8ºC nas madrugadas de quarta a sexta e 10ºC no sábado. Cuiabá pode registrar 11ºC na quinta e na sexta. Goiânia pode descer a 8ºC ou 9ºC quinta e sexta com 9ºC a 10ºC no sábado. Brasília pode anotar 8ºC a 9ºC quinta e sexta, mas com marcas de até 5ºC a 6ºC em pontos de zonas rurais no Cerrado do Distrito Federal.

Geada

A abundante nebulosidade frusta a ocorrência de geada no Rio Grande do Sul e Santa Catarina na maioria dos próximos dias, mas o Paraná deve ter geada principalmente nesta terça. No final da semana, com o fim da circulação ciclônica, deve gear em muitas áreas do Sul do país e forte em alguns municípios. Onde deve gear em muitos locais nos próximos dias é no Centro-Oeste e no Sudeste, podendo gear até em áreas menos acostumadas ao fenômeno como o Mato Grosso, o Centro de Goiás, áreas rurais do Distrito Federal e o Centro e Norte de Minas Gerais.

A geada no Centro-Oeste e no Sudeste é um risco para a agricultura. Diversas culturas podem ser impactadas e sofrer perdas com a geada agora em maio, especialmente o milho segunda safra, fruticultura e hortaliças. Há preocupação ainda com a cultura do café, mas não se antecipa nos cafezais evento tão extremo de geada como os observados no inverno passado.

Precipitação invernal

A interação da circulação de umidade com áreas de baixa pressão, particularmente do ciclone muito intenso que se prevê atuará no Sul do Brasil amanhã e quarta-feira, trará chance de precipitação invernal para as áreas de maior altitude. Os dias com probabilidade de precipitação de neve e/ou chuva congelada são esta terça e a quarta.

A maior probabilidade é para o Planalto Sul Catarinense, na região de São Joaquim, mas várias projeções indicam a possibilidade dos fenômenos em áreas do Planalto de Palmas, no Centro-Sul do Paraná, e próximas no Norte de Santa Catarina. Mesmo no Meio-Oeste catarinense não se pode afastar precipitação invernal. No Rio Grande do Sul, a chance se concentra nos Campos de Cima da Serra, especialmente em cidades com cotas perto ou acima de 1000 metros, como Cambará do Sul e São José dos Ausentes.

Nenhum modelo indica precipitação de neve expressiva com grandes acumulações nestas áreas, mas, em especial no Planalto Sul de Santa Catarina, existe a possibilidade de pancadas de neve. Isso porque com a circulação ciclônica se formam nuvens de desenvolvimento vertical que não raro neste tipo de situação pode causar pancadas isoladas de neve forte de curta duração capazes de gerar acumulação em poucos minutos.

Anúncios