Fogo está fora de controle em Tenerife e gera evacuação de milhares de pessoas | ANDRES GUTIERREZ/ANADOLU AGENCY/AFP/METSUL METEOROLOGIA

As imagens são impressionantes e assustadoras nesta noite do incêndio que já arrasou milhares de hectares na ilha espanhola de Tenerife e que é descrito como “o mais complexo” das últimas décadas no arquipélago das Canárias, nas palavras do presidente do governo regional, Fernando Clavijo.

Declarado na noite de terça-feira, o incêndio queima uma área de florestas e encostas no Nordeste da ilha. Mais de 3,2 mil hectares já arderam, segundo os últimos dados das autoridades.

Na manhã de hoje, o governo regional ordenou o confinamento da localidade de La Esperanza, no município de Rosario, enquanto cerca de dez pequenas aldeias e vilarejos desta área turística foram evacuados por precaução. No total, são mais de 7 mil pessoas afetadas.


“A noite foi muito dura (…) Este é, provavelmente, o incêndio mais complexo que tivemos nas Canárias. (…) pelo menos nos últimos 40 anos”, declarou Clavijo, em entrevista coletiva em Tenerife. O “calor extremo” e as “circunstâncias climáticas” dificultam o trabalho, acrescentou.

Mais de 250 pessoas e 17 aviões participam das tarefas para controlar as chamas. “Estamos diante de um incêndio que nunca vimos nas Ilhas Canárias”, afirmou a meteorologista Vicky Palma na coletiva de imprensa, referindo-se a uma coluna de fumaça recorde e à propagação contínua das chamas durante quase um dia e meio. Autoridades locais fecharam as estradas que levam às montanhas no nordeste da ilha.

Vídeos e fotos publicados nas redes sociais na noite desta quinta-feira em redes sociais dos incêndios são impressionantes e ao mesmo tempo assustadores. Mostram uma cadeia inteira de montanhas em chamas e o fogo fora de controle com dezenas de metros de altura.


O incêndio ocorre depois que uma onda de calor nas Ilhas Canárias deixou muitas áreas secas e aumentou o risco de incêndios florestais. Segundo cientistas, os fenômenos meteorológicos extremos se intensificaram como resultado do aquecimento global.

As ondas de calor devem se tornar mais frequentes e intensas, e seu impacto deve aumentar. Em 2022, 300 mil hectares foram queimados por mais de 500 incêndios na Espanha, um recorde na Europa, segundo o Sistema Europeu de Informação sobre Incêndios Florestais (Effis).