Anúncios

Incêndio florestal Oak Fire avança perto de Midpines, a Nordeste de Mariposa, no estado norte-americano da Califórnia, e provoca a fuga de milhares de pessoas da região | DAVID MCNEW/AFP/METSUL METEOROLOGIA

Um violento incêndio florestal na Califórnia avança neste domingo, queimando vários milhares de acres e forçando evacuações, enquanto milhões de norte-americanos enfrentam uma onda de calor escaldante recorde e que deve se intensificar. Mais de 2.000 bombeiros, apoiados por 17 helicópteros, foram mobilizados contra o incêndio de Oak, que eclodiu na sexta-feira na Califórnia, perto do Parque Nacional de Yosemite, informou o Serviço de Proteção Florestal da Califórnia (CAL FIRE).

Uma aeronave de combate a incêndios despeja retardante à frente do Oak Fire neste domingo perto de Jerseydale, no estado norte-americano da Califórnia. O incêndio do Oak Fire age fora do Parque Nacional de Yosemite, forçou evacuações, queimou milhares de hectares e destruiu várias casas desde o início das chamas na tarde de sexta-feira. | JUSTIN SULLIVAN/GETTY IMAGES NORTH AMERICA/AFP/METSUL METEOROLOGIA

No entanto, dois dias após o seu início, o fogo já tinha consumido mais de 5.700 hectares e estava apenas 10% controlado, segundo o relatório, que acrescentou que o calor, aliado à baixa umidade torna “difícil” os esforços para combater as chamas. “As consequências extremas da seca levaram a um nível crítico de combustibilidade”, de acordo com o relatório CAL FIRE.


Considerado “explosivo” pelas autoridades, o incêndio deixa cinzas, veículos destruídos e destroços em cinzas de propriedade em seu rastro destrutivo, enquanto o pessoal de equipes de emergência trabalha para evacuar os moradores e proteger as estruturas em seu caminho. Dez propriedades foram destruídas até o momento, cinco foram danificadas e milhares estão ameaçadas.

Mais de 6.000 pessoas foram evacuadas, disse o funcionário do CAL FIRE, Hector Vasquez. “Pessoal de vários departamentos do estado estão chegando para ajudar a controlar o incêndio”, disse Vasquez à agência AFP, chamando a situação de “realmente complexa”. O governador da Califórnia, Gavin Newsom, declarou estado de emergência no condado de Mariposa no sábado devido às “condições extremamente perigosas para a segurança de pessoas e propriedades”.


Uma casa queima com o avanço do Oak Fire na área de Mariposa, no estado da Califórnia, Estados Unidos. As chamas se alastraram rapidamente e destroem algumas propriedades na região. | JUSTIN SULLIVAN/GETTY IMAGES NORTH AMERICA/AFP/METSUL METEOROLOGIA

Chamas ardem em Floresta perto de Midpines, a Nordeste de Mariposa, Califórnia, com o avanço do fogo do Oak Fire | DAVID MCNEW/AFP/METSUL METEOROLOGIA

Um bombeiro resfria uma árvore em chamas no Oak Fire perto de Midpines, Nordeste de Mariposa, durante os esforços dos combates às chamas neste fim de semana | DAVID MCNEW/AFP/METSUL METEOROLOGIA

No momento, 85 milhões de americanos em mais de uma dúzia de estados receberam um alerta de calor extremo. O calor nos Estados Unidos e sem precedentes na Europa e outras partes do mundo levou o ex-vice-presidente norte-americano Al Gore, um ativista contra as mudanças climáticas, a emitir advertências severas neste domingo sobre a “inação” dos legisladores dos Estados Unidos.

Gore foi inflexível quando perguntado se, como prometido, o presidente Joe Biden deveria declarar uma emergência climática. “A Mãe Natureza já declarou uma emergência global”, disse ele ao programa ABC This Week da rede ABC. E “rapidamente vai ser muito pior”, ele alertou em outra entrevista à NBC.

Gore também disse que crises recentes, incluindo ondas de calor mortais na Europa, devem chamar a atenção dos membros do Congresso, que até agora se recusaram a agir sobre as mudanças climáticas. “Acho que esses eventos extremos, que estão ficando piores e mais sérios, estão começando a mudar de opinião”, disse ele.

O Centro e o Nordeste dos Estados Unidos são as regiões mais afetadas por temperaturas extremas neste começo de semana. “Vários recordes diários de máximas serão igualados ou quebrados no Nordeste do país, já que as altas temperaturas perto da marca do século e os índices de calor oscilam entre 40ºC e 43ºC, informou o Serviço Nacional de Meteorologia dos Estados Unidos.

A temperatura de Newark atingiu 100°F (37,8ºC) na tarde deste domingo, o que não apenas é um novo recorde diário, mas o quinto dia consecutivo com 100ºF ou mais, o que não tem precedentes desde o começo dos registros na estação do Aeroporto de Newark, em 1931.

Anúncios