Anúncios

Este janeiro que começa deve ser um mês com chuva acima a muito acima da média em várias regiões do Rio Grande do Sul, notadamente na Metade Norte. O canal de umidade primário da América do Sul atuará mais no Sul do Brasil, o que não apenas deve levar a uma maior freqüência de chuva, mas também de mais temporais de verão. Já nestas primeiras 72 horas do novo mês, muitas cidades gaúchas podem superar a média histórica mensal por conta de um evento significativo de chuva que se prevê para hoje e amanhã. A chuva vai estancar as perdas que se acumulam no campo após o dezembro de chuva reduzida em várias áreas e que atingem principalmente o milho, após novembro com chuva superior à média na maioria das regiões.



A MetSul alerta que hoje e amanhã são dias de grande preocupação pelo elevado risco de chuva forte a intensa no Rio Grande do Sul. Hoje, risco maior para o Centro, Oeste e o Sul do Estado. Amanhã, chuva mais forte do Centro para o Norte gaúcho. Há ainda a ameaça de temporais localizados com vento forte e granizo, mas a preocupação maior é mesmo a perspectiva de chuva intensa. Volumes de 100 a 200 mm em só 48 horas são possíveis em vários pontos do Estado, não se afastando acumulados superiores isolados. O Centro do Estado, o Alto Jacuí e adjacências, em particular, poderiam ser as áreas com maiores volumes de precipitação, afetando cidade como Santa Maria e Cruz Alta. A forte instabilidade decorre, inicialmente, de área de baixa pressão que derrubará hoje a pressão atmosférica e abaixo do patamar crítico de 1000 hPa, e da passagem de frente fria amanhã com ar frio na sua retaguarda e que encontrará a massa de ar muito quente e úmida sobre o Estado. A MetSul adverte para alagamentos em áreas urbanas, acentuada subida de rios e arroios com ameaça de transbordamento, baixa visibilidade em estradas com perigo de aquaplanagem e ainda a possibilidade de deslizamentos de encostas de terreno.



Mapa com de água precipitável na América do Sul mostra que o fluxo de umidade vinda da Amazônia retornou ao Sul do Brasil. Com o avanço de frente fria com ar frio e seco na sua retaguarda, o encontro a massa de ar fria com o ar tropical quente e úmido sobre o Sul do país deve determinar forte chuva entre hoje e amanhã

O primeiro dia do ano mais uma vez foi marcado apenas por chuva isolada no Rio Grande do Sul em mais uma jornada muito quente e bastante abafada. Na rede do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), a máxima no Estado foi de 38,3ºC em São Gabriel. Em Porto Alegre, na rede do Sistema Metroclima, fez 36,3ºC. Com o calor e abundante umidade, nuvens carregadas voltaram a se formar sobre diversos pontos do território gaúcho com chuva bastante irregular na sua distribuição espacial.


Nuvens carregadas de grande desenvolvimento vertical no entardecer da quarta-feira em Lavras do Sul – Murilo Goes


Pancada muito localizada de chuva atingiu o município de Paraíso do Sul na primeira tarde deste ano – Lucas Maciel

O vizinho Uruguai deve enfrentar hoje chuva localmente forte a intensa (altos volumes localizados) com temporais isolados de vento forte e granizo por conta da aproximação do ar frio de Sul que instabiliza muito a atmosfera. Algumas tormentas no país podem ser de forte intensidade e com potencial de trazer transtornos. No primeiro dia do ano, a máxima no Uruguai foi de 38,8C em Artigas. O calor associado à umidade favoreceu nuvens de desenvolvimento vertical (foto abaixo de Alejandra F. em Piriápolis) com pancadas localizadas de chuva. À noite, teve chuva forte no balneário de Punta del Este e praias vizinhas. Caiu granizo na capital Montevidéu. O Sul uruguaio ainda registrou muitos raios (foto abaixo em Rocha de Federico Lorenzo).


A massa de ar frio e seco que vai avançar sobre grande parte do Rio Grande do Sul entre amanhã (sexta) e sábado não apenas colocará um ponto final na sequencia de dias muito quentes e abafados como trará temperatura abaixo da média desta época do ano, mesmo que por um período curto, como é comum no verão. O ar mais frio chega com vento Sul que soprará moderado com algumas rajadas no Sul e no Leste do Estado, mais fortes no Litoral Sul (60 a 75 km/h). As madrugadas do fim de semana devem ser amenas no Rio Grande do Sul e algumas áreas do Sul do Estado devem ter até frio para janeiro, já que as mínimas podem cair a valores ao redor dos 10ºC somente alguns poucos dias depois dos termômetros terem marcado 40ºC.

Anúncios