Imagem do satélite Terra da NASA mostrava muita fumaça ontem de queimadas na região amazônica

Os incêndios prosseguem na Amazônia e os números e imagens de satélites provam acima de qualquer dúvida.

Dados de monitoramento por satélite do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) mostram que apenas nos primeiros 11 dias de agosto foram registrados 11.093 focos de calor no bioma Amazônia.

O número apenas no primeiro terço do mês já é maior que o total de incêndios no mês de agosto inteiro dos anos de 2009 (9.732), 2011 (8.002), 2013 (9.444) e 2018 (10.421).

Somente nos primeiros onze dias do mês já foi atingido 42% da média histórica de queimadas na Amazônia, sinalizando que agosto de 2020 está com número de focos de calor em ritmo um pouco superior à média histórica mensal de 26.082.

O pior ano de queimadas no bioma Amazônia no mês de agosto ocorreu em 2005, quando o número de focos de calor chegou a 63.765, o dobro do registrado no ano passado, quando as queimadas na Amazônia receberam enorme atenção mundial.

O estado do Amazonas somente nos primeiros 11 dias deste mês registrou 3.556 focos de calor. Falta muito ainda para o mês terminar e agosto de 2020 já supera os números totais dos meses de agosto de 1998, 1999, 2000, 2001, 2002, 2003, 2004, 2006, 2008, 2009, 2011, 2013 e 2018.