Anúncios

As Planícies Centrais e parte do Sul dos Estados Unidos congelam sob uma das piores ondas de frio em décadas. As mínimas congelantes no começo desta segunda-feira (15) chegaram a -26,7ºC em Denver, -25,6ºC em Dodge City, -23,8ºC em Amarillo, -21,7ºC em Oklahoma City, -15,0ºC em Dallas, -12,8ºC em San Antonio e -7,8ºC em Houston. São marcas que não eram vistas em muitos locais, ao menos, desde 1989.

Ums estação meteorológica não oficial em Palo Duro, no Texas, por exemplo, registrou temperatura de -28,9ºC. Se confiável o dado, portanto, esta é uma das menores marcas já observadas no estado do Sul dos Estados Unidos. O recorde oficial de mínima do Texas é de -30,6ºC em Seminole e em Tulia.

Mesonet

NEVE COMO RARAMENTE SE VIU

A quantidade de neve que caiu no Texas foi impressionante para os padrões locais. De acordo com o Serviço Nacional de Meteorologia dos Estados Unidos (NWS), San Angelo teve 10,1 polegadas de neve em um dia, um novo recorde absoluto. É cinco vezes a média anual de neve (2,2 polegadas) em um único dia. O recorde anterior era 10,0 polegadas em 16 de janeiro de 1919.

Com efeito, a neve cobriu de branco a cidade de Houston, perto do Golfo do México, deixando ruas e auto-estradas vazias pelo risco de trafegar com o gelo, conforme alertas e os apelos das autoridades locais. A temperatura no meio da tarde desta segunda era de impressionantes 5ºC abaixo de zero Celsius.

Storm Highways

NEVE NO GOLFO

Trata-se de um evento de frio e neve tão excepcional que nevou com acumulação até na área costeira do Texas. A neve cobriu, por exemplo, a cidade de Galveston, na orla do Golfo do México, tradicionalmente uma das áreas mais quentes e úmidas do país e que é asolada por grandes furacões.

WeatherBug

A grande nevada mudou a paisagem do Circuito das Américas, um dos principais autódromos dos Estados Unidos, situado na cidade de Austin, onde ocorrem corridas da Fórmula 1. San Antonio teve 2,5 polegadas de neve oficialmente em dois dias, a maior acumulação em 48 horas de neve desde 12 e 13 de janeiro de 1985, quando caíram 3,6 polegadas. Já Austin somou 6,4 polegadas (uma polegada equivale a 2,54 cm) tanto em Mabry como no aeroporto de Bergstrom. É a maior neve em 48 horas desde 30 de janeiro de 1949, quando caíram 6,5 polegadas em Mabry.

Oleitor Rafael Dreher, que é morador da cidade de Austin, enviou fotografias da sua rua coberta pela neve na manhã desta terça-feira com temperatura de quase 8ºC abaixo de zero e sensação térmica perto de 20ºC negativos por efeito do vento.

“THE DAY AFTER TOMORROW”

A neve generalizada, portanto, que chegou a cair na costa do Golfo, trouxe uma das mais incríveis imagens de satélite dos tempos recentes e que recorda o filme O Dia Depois de Amanhã sobre um súbito resfriamento global gerado por mudanças climáticas. Na imagem, quase o estado inteiro do Texas aparece branco pela cobertura de neve.

CIRA/CSU

Como consequência, na manhã de hoje, ao menos 70,4% do território contíguo dos Estados Unidos (exclui o Alasca e o Havaí) estavam cobertos de neve, o que é um número muito fora dos padrões normais e bastante acima do que se costuma observar.

NOAA

COLAPSO ENERGÉTICO

A onda de frio extremo levou ao colapso do sistema energético. Com a demanda recorde em razão da necessidade de aquecimento e a queda drástica na geração de energia.

Houve drástica diminuição na geração de gás e do funcionamento das turbinas eólicas pelo frio, perto de 3 milhões de consumidores tiveram cortes de luz no Texas.


Por fim, autoridades alertam que a situação da falta de luz vai piorar e que os problemas devem se prolongar ao longo da terça. O operador do sistema elétrico regional relatou que a falta de luz começa a atingir outros estados do Centro do país ante o desequilíbrio gerado entre a queda da geração e o salto da demanda. Analistas do mercado antecipam um prejuízo econômico de grandes proporções por esta onda de frio extremo e histórica.

Assine gratuitamente nossa newsletter para notícias e alertas

Anúncios