NOAA

Uma perturbação em altitude entrou em fase com uma área de baixa pressão em superfície, gerando uma ciclogênese na foz do Rio da Prata. O ciclone ao avançar para Leste e Nordeste no Oceano Atlântico, distanciando-se do continente, se intensificou com registro de vento forte no Litoral do Uruguai e do Rio Grande do Sul, o que trouxe também ressaca do mar.

No Rio Grande do Sul, as rajadas mais intensas se concentraram no Litoral Sul gaúcho e ficaram perto de 100 Km/h. Veja as rajadas mais fortes nas últimas 24 horas:

Santa Vitória do Palmar: 94,3 km/h


Mostardas: 82,4 km/h

Rio Grande: 78,4 km/h

São José dos Ausentes: 73,8 km/h

Capão do Leão: 73,8 km/h


Canguçu: 69,4 km/h

Jaguarão: 66,6 km/h

Cambará do Sul: 64,4 km/h

Caçapava do Sul: 62,2 km/h

Encruzilhada do Sul: 59,5 km/h

Pedro Osório: 59,5 km/h

Torres: 59,0 km/h

Dom Pedrito: 57,9 km/h

Pinheiro Machado: 57,9 km/h

Canoas: 57,4 km/h

Bagé: 55,8 km/h

São Gabriel: 54,7 km/h

Pelotas: 51,5 km/h

O ciclone se afasta mais neste fim de semana do continente e o vento seguirá em gradual diminuição.