Anúncios

Um ciclone extratropical se formou nesta quinta-feira (4) junto aos litorais do Uruguai e Sul gaúcho, onde se aprofundou no decorrer do dia. O Sul gaúcho, como esperado, foi a região mais afetada pelo sistema. O porto de Rio Grande teve que interromper as suas operações de praticagem devido ao vento e ao mar agitado com rajadas na barra perto dos 90 km/h. Em Santa Vitória do Palmar e no Chuí, as rajadas de vento foram superiores a 70 km/h por dez horas seguidas.


O ciclone se formou a partir de um centro de baixa pressão que avançou a partir do Norte da Argentina na quarta-feira (3) e cruzou o Rio Grande do Sul, trazendo chuva e alguns temporais. Em algumas cidades do Oeste gaúcho, como Itaqui, a precipitação superou os 110 mm. No final da quarta, ao alcançar o oceano, o centro de baixa pressão começou a se aprofundar em uma ciclogênese que deu origem ao ciclone extratropical.

O vento soprou forte desde cedo no Extremo Sul gaúcho com a formação do ciclone, mas ganhou força no Leste gaúcho ao longo da quinta-feira com rajadas acima de 50 km/h que foram generalizadas e entre 70 km/h e 90 km/h em algumas cidades. Veja as rajadas máximas de vento registradas por estações meteorológicas.

Vento forte registrado hoje (04022021) no RS:

Rio Grande: 88,8 km/h
Santa Maria do Herval: 88,2 km/h
Pelotas: 87,0 km/h
Santa Vitória do Palmar: 85,3 km/h
Boa Vista das Missões: 72,7 km/h
Canela: 66,6 km/h
Porto Alegre: 66,0 km/h
Encruzilhada do Sul: 64,4 km/h
Caçapava do Sul: 63,7 km/h
Canoas: 62,9 km/h
São Lourenço do Sul: 62,9 km/h
Herval 62,8 km/h
Garibaldi: 62,3 km/h
Taquara: 62,0 km/h
Capão do Leão: 61,9 km/h
Cambará do Sul: 61,2 km/h
Rio Pardo: 60,4 km/h
Caxias do Sul: 60,2 km/h
Bento Gonçalves: 59,0 km/h
Arroio do Meio: 57,9 km/h
Campo Bom: 57,9 km/h
Colinas: 56,8 km/h
Lagoa Vermelha: 56,2 km/h
Minas do Leão: 56,2 km/h
Teutônia: 55,8 km/h
São Gabriel: 55,4 km/h
Gramado: 54,7 km/h
São José dos Ausentes: 54,7 km/h
São Francisco de Paula: 53,1 km/h
Cachoeira do Sul: 51,5 km/h
São Sepé: 51,5 km/h

A circulação ciclônica se intensificou durante a tarde no Leste gaúcho, a partir do ar mais quente resultante do aquecimento diurno que estimulou a formação de nuvens de maior desenvolvimento vertical. Com isso, pancadas de chuva que foram isoladamente fortes e acompanhadas de rajadas de vento atingiram diversas localidades como do Sul gaúcho, a Costa Doce, a Grande Porto Alegre, os vales e o Litoral Norte.

O mar ficou muito agitado no Sul gaúcho com ressaca do mar na praia do Hermenegildo. Agora, com o avanço do swell (ondulação) gerado pelo ciclone para Norte, o mar deve ficar muitíssimo agitado com forte a muito grande ressaca e elevação da maré (storm surge) na orla nas praias do Litoral Norte gaúcho e de Santa Catarina entre esta sexta e o sábado.

O ciclone extratropical começa a se afastar do continente no sentido Leste-Sudeste durante esta sexta-feira, mas ainda deve trazer reflexos no continente. O sol predomina no Rio Grande do Sul nesta sexta, mas a circulação de intenso ciclone no oceano ainda traz nuvens para o Leste gaúcho, onde devem provocar chuva isolada e passageira em cidades da costa e das áreas de entorno das lagoas.

Com ar mais frio impulsionado pelo ciclone, o dia será agradável e começar até frio pra época do ano na Serra, Aparados, Campanha e fronteira com o Uruguai. O vento sopra mais fraco, uma vez que o ciclone se afasta, mas no Leste gaúcho ainda podem ocorrer algumas rajadas esporádicas.


A frente fria associada ao ciclone, que hoje provocou chuva e temporais em Santa Catarina e no Paraná, passa a atuar no Sudeste do Brasil com possibilidade de chuva forte a intensa localizada e temporais nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais e Espírito Santo nesta sexta e/ou durante o fim de semana. No Sul do Brasil, com ar mais seco e frio de alta pressão impulsionado pelo ciclone, o tempo seco vai predominar com muito sol na maioria das áreas.

Assine gratuitamente nossa newsletter para notícias e alertas

 

Anúncios