Uma área de baixa pressão deve se formar nas próximas horas no Litoral do Sudeste do Brasil, possivelmente na costa do Rio de Janeiro. A convergência de umidade deste sistema pode trazer chuva volumosa a localmente excessiva no Rio e, sobretudo, no Espírito Santo. Esse sistema deve migrar para Sul em alto mar, distante do litoral do Sul do Brasil, antes de se converter em ciclone extratropical (comum no Atlântico Sul).


Antes, contudo, deve ter uma fase subtropical. Se o vento sustentado passar de 63 km/h, a depressão tropical evoluirá para o status de tempestade subtropical e receberá o nome Kurumí, definido na lista da Marinha do Brasil.