Anúncios

Um ciclone extratropical se formou na costa do Rio Grande do Sul nesta quinta-feira (3). O sistema se origina a partir do centro de baixa pressão que cruzou pelo Estado durante o dia de ontem, trazendo chuva localmente forte a intensa com temporais localizados em que ocorreram vendavais com estragos e transtornos em diversos municípios.


Não se trata de um ciclone intenso e seus impactos não serão relevantes. O sistema deixa o tempo mais ventoso hoje no Sul e no Leste do Rio Grande do Sul, incluindo Porto Alegre, com rajadas em alguns momentos, em regra de 50 km/h a 70 km/h, mas isoladamente superiores na orla e na região da Lagoa dos Patos e seu entorno.

Pelo solo saturado da chuva forte e muitas áreas ainda estarem sem luz, o vento pode trazer queda de árvores e retardar o restabelecimento da energia, além de gerar novos cortes no serviço isoladamente.

A sua circulação de umidade induz, ao interagir com o ar mais quente, nuvens do tipo Cumulus que provocam chuva isolada e passageira, que se alterna com sol, mas que em alguns pontos podem ser fortes. A chance destas pancadas isoladas é maior na tarde de hoje, mas a tendência é de o tempo secar em definitivo à noite.


Ciclones extratropicais são absolutamente rotineiros e ocorrem ao longo de todo o ano no Atlântico Sul, sendo mais comuns e mais intensos nos meses mais frios pelo contraste de pressão maior com os sistemas de alta pressão associados às incursões de ar polar. Este ciclone vai começar nas próximas horas a se afastar gradualmente do continente.

Anúncios