Anúncios

Casas e edifícios atingidos em deslizamento de terra causado por fortes chuvas em Casamicciola, na ilha de Ischia, que deixa um morto e desaparecidos | CIRO FUSCO/ANSA/AFP/METSUL METEOROLOGIA

Uma mulher morreu e uma dezena de pessoas segue desaparecida na ilha italiana de Ísquia, no golfo de Nápoles, depois que fortes chuvas causaram um deslizamento de terra neste sábado.

A primeira vítima confirmada é uma mulher, cujo corpo foi localizado pelos socorristas, informou em coletiva de imprensa o prefeito de Nápoles, Claudio Palomba. Algumas pessoas dadas como desaparecidas foram encontradas com vida, mas ainda há uma dezena de desaparecidos, acrescentou.


O ministro do Interior italiano, Matteo Piantedosi, disse que a situação é “muito séria” e que várias pessoas continuam presas sob a lama. A mídia havia estimado o número de desaparecidos em 13, mas as autoridades alertaram que o balanço pode mudar devido às dificuldades encontradas no terreno.

As más condições do tempo dificultam os esforços de resgate nesta ilha na costa de Nápoles. Piantedosi desmentiu o vice-primeiro-ministro italiano, Matteo Salvini, que havia dito anteriormente que pelo menos oito pessoas morreram no deslizamento de terra.


O deslizamento ocorreu na madrugada de sábado na pequena cidade de Casamicciola Terme, no norte da ilha. “Um deslizamento de terra engoliu uma casa e estamos procurando possíveis pessoas desaparecidas” na cidade, declarou o Corpo de Bombeiros.

A lama arrastou vários carros, levando pelo menos um deles para o mar. Duas pessoas foram resgatadas, acrescentou. Um casal e seu filho recém-nascido, que tinham sido declarados como desaparecidos, foram posteriormente encontrados no hospital, disse Claudio Palomba, à agência de notícias AGI.

O deslizamento de terra foi causado por chuvas intensas e arrastou árvores e veículos em seu caminho, segundo imagens divulgadas pelos serviços de emergência e pela mídia local. Na área mais atingida de Casamicciola Terme, pelo menos 30 famílias ficaram presas em suas casas sem água ou eletricidade, com lama e detritos bloqueando a estrada, informou a agência de notícias ANSA.

Os bombeiros enviaram ajuda da cidade mais próxima de Nápoles, mas insistiram que as condições climáticas dificultam o acesso à ilha. As autoridades esperam encontrar abrigos para que entre 150 e 200 pessoas desabrigadas passem a noite.

“A busca pelos desaparecidos, as evacuações e a ajuda às pessoas em perigo continuam”, disse o departamento de proteção civil no Twitter. “O trabalho de resgate continua complexo devido às condições climáticas”, acrescentou.

As autoridades pediram aos moradores que permaneçam em suas casas para não atrapalhar os esforços de resgate. A primeira-ministra da Itália, Giorgia Meloni, disse estar monitorando a situação. Casamicciola Terme sofreu um terremoto em 2017, no qual duas pessoas morreram.

Anúncios