A China confirmou nesta segunda-feira que a temperatura atingiu 52,2ºC no noroeste do país no fim de semana, estabelecendo um novo recorde nacional absoluto de temperatura máxima, meses depois de o país asiático ter tido um recorde nacional absoluto de temperatura mínima.

China enfrenta calor extremo com mais de 50ºC | MAY JAMES/AFP/METSUL METEOROLOGIA

Uma estação meteorológica na vila de Sanbao, na região de Xinjiang, “registrou um pico de temperatura de 52,2ºC às 19h do dia 16 de julho, quebrando o recorde histórico de calor para o mesmo período do ano”, disse a Administração Meteorológica da China (CMA) em um comunicado. O recorde anterior de 50,6C foi estabelecido em julho de 2017, de acordo com o comunicado.

Xin Xin, um analista que trabalha para o CMA, disse em sua conta verificada no Weibo que 52,2°C foi a “temperatura mais alta medida em uma estação regional em nosso país que eu já vi”.


Sanbao fica nos arredores da cidade de Turpan, onde as autoridades disseram aos trabalhadores e estudantes para ficarem em casa e ordenaram que veículos especiais borrifassem água nas principais vias, disse o órgão meteorológico.

As temperaturas da superfície do solo (não a do ar) chegaram a 80°C em partes de Turpan no domingo, de acordo com o comunicado emitido pelo serviço meteorológico oficial da China, onde o calor extremo vem castigando centenas de milhões de chineses há semanas.

A temperatura mínima na estação meteorológica automática de Jingtao, na cidade de Amur, em Mohe, província de Heilongjiang, na China, caiu a -53,0°C na segunda quinzena de janeiro. Trata-se da menor temperatura já observada na província do Norte chinês e a menor temperatura mínima já registrada até hoje pelo sistema meteorológico chinês.


O meteorologista norte-americano Ryan Maue observa com cautela os dois extremos em tão curto período. Ele explica que a China instalou centenas de novas estações meteorológicas nos últimos anos em locais que não tinham medições e que os equipamentos novos passaram a identificar condições extremas em algumas áreas que podem já ter ocorrido no passado, mas não foram registrados por falta de medições.