Anúncios

Frio na cidade chinesa de Mohe (foto) atingiu hoje 50,6ºC | STR/AFP/METSUL METEOROLOGIA

Uma brutal onda de frio atinge neste momento parte da China com temperaturas raramente observadas em províncias mais ao Norte do território chinês e que desceram a valores que não eram vistos há pelo menos meio século. São dias seguidos de frio extraordinário.

De acordo com dados do serviço meteorológico oficial da China, a temperatura mínima deste sábado (21) caiu a 50,6ºC abaixo de zero em Mohe, localizada a 400 metros de altitude na província de Heilongjiang. Ontem, a cidade já havia batido na casa dos -50.


A marca de hoje de 50,6ºC negativos é a mais baixa registrada por uma estação meteorológica oficial na China desde 1969, pontuam observadores que acompanham marcas extremas de temperatura ao redor do mundo.

Segundo eles, o sábado ainda teve recordes de temperatura mínima em outras estações. Foram os casos de Huzhong com 49,8ºC abaixo de zero, Tahe com 47,9ºC negativos e ainda Xinlin que igualou seu recorde de mínima com 46,9ºC abaixo de zero.


Conhecida como o “Polo Norte” da China, Mohe, onde foi registrada a mínima histórica de hoje, tem um período anual de gelo e neve de até oito meses, com a temperatura mais baixa chegando a 50 graus Celsius negativos.

Em virtude de suas condições naturais de frio extremo, a cidade desenvolveu nos últimos anos diversos programas de turismo de inverno, atraindo turistas para uma “viagem extremamente fria” com um festival gigantesco de culturas de gelo.

Esta massa de ar frio que castiga a China vai se deslocar para Sudeste e atingir a península coreana (Coreias do Norte e Sul), além do Japão, levando frio extremo também para estes países.

Após a onda de frio varrer o Nordeste da China, o Japão e a Coreia também terão uma queda significativa de temperatura com a previsão indicando até -17°C em Seul e -6°C em Tóquio. A temperatura mais baixa em Tóquio desde 1950 é de -6,3°C, o que pode ser igualado ou batido.

Anúncios