Cheia do Jacuí em Rio Pardo está entre as maiores já vistas | PREFEITURA DE RIO PARDO

A cheia do Rio Jacuí é uma das maiores da história, apontam dados de medições históricas tanto em Rio Pardo como em Cachoeira do Sul. Nas duas cidades do Centro do Rio Grande do Sul, as enchentes que já duram vários dias retiram moradores de suas casas. A grande cheia é efeito dos volumes extraordinariamente altos da primeira metade de setembro, quando pontos da bacia chegaram a ter 300 mm a 400 mm.

No fim de semana, a cheia do Jacuí na régua de Cachoeira do Sul superou outra marca histórica ao atingir 25,55 metros do sábado no ponto de medição da Ponte do Fandango, segundo a Defesa Civil. O valor fez desta cheia a terceira maior da história de Cachoeira do Sul, superando a marca de outubro de 2015, quando o nível chegou a 25,53 metros. Ontem, o Jacuí começou a baixar lentamente.

A Defesa Civil Municipal contabilizava 343 pessoas desabrigadas ou desalojadas e 592 animais removidos de áreas ribeirinhas atingidas pela cheia durante o fim de semana. Ao todo, 120 famílias tiveram de deixar suas casas e ir para os abrigos provisórios preparados pela Prefeitura, informou o jornal O Povo.


A Barragem do Capané estava ontem em 8,48 metros e permanecia em estado de alerta. O reservatório é monitorado pelo Instituto Rio Grandense do Arroz (Irga) que, em caso de emergência, deve acionar a Defesa Civil. O balanço da Defesa Civil mencionava ainda dois feridos e um desaparecido em episódio de barco que virou na região do Balneário Irapuá na última quinta-feira. O Corpo de Bombeiros de Cachoeira do Sul retomou as buscas com apoio de mergulhadores de Santa Maria.

Em Cachoeira do Sul, três escolas seguem com as aulas suspensas devido às enchentes. Segundo a Prefeitura, o motivo é a grande cheia do Rio Jacuí. A água do rio está cortando a estrada que dá acesso ao local das escolas e para chegar é preciso atravessar mediante a balsa, que está com serviço suspenso pela enchente.

Em Rio Pardo, o município está em situação de emergência desde o final da semana passada pela enchente. Produtores rurais da cidade ouvidos pela MetSul e que deveriam estar iniciando o plantio descrevem a situação como “pavorosa”.


Ontem, o nível do Rio Jacuí medido junto ao Cais do Porto em Rio Pardo chegou a 16,42 metros, tornando-se a 4ª maior enchente desde o início das medições. A maior enchente foi registrada em 1941, seguida por duas em 2015. Nas últimas horas, o nível do Jacuí em Rio Pardo apresentava estabilidade.

A Defesa Civil de Rio Pardo estima que 185 pessoas estejam desabrigadas. O Prefeito Rogério Monteiro, solicitou que toda a estrutura do município permaneça em alerta para prestar melhor assistência às famílias e garantir que nenhum residente de Rio Pardo fique sem ajuda com previsão de mais chuva nesta semana.

Os anos de 1941 e 2015, que constam nas estatísticas como as maiores cheias de Rio Pardo e de Cachoeira do Sul, foram de Super El Niño. Já 2023 está sob El Niño em intensificação e que já começa a adentrar no território de forte intensidade.

Justamente o nível muito alto do Jacuí está impedindo que o Guaíba baixe em Porto Alegre. O nível se manteve ao redor de 2,50 metros com pequenas oscilações durante todo o fim de semana na medição do Cais Mauá, mesmo com vento do quadrante Norte. O vento vira para Sul agora com a chegada de uma frente fria com risco de represamento.