Anúncios

Chuva e ventos fortes com rajadas de até 170 km/h em áreas de maior altitude castigaram áreas do Sul do estado norte-americano da Califórnia com a rara influência de um ciclone tropical | SANDY HUFFAKER/GETTY IMAGES/AFP/METSUL METEOROLOGIA

A tempestade tropical Kay trouxe muito vento e forte chuva no Sul do estado norte-americano da Califórnia nas últimas horas em rara ocorrência de um ciclone tropical afetando a região. As chuvas provocaram inundações que atingiram também partes do Oeste do estado do Arizona. Vento com rajadas de até 170 km/h foi registrado em elevações no Sul californiano, em Cuyamaca Peak, a Leste de San Diego, onde várias árvores e linhas de energia caíram.

Kay, que era um furacão de categoria 1 quando atingiu a costa na quinta-feira na Baja California, no México, enfraqueceu para uma tempestade tropical na sexta-feira, mas ainda gerou ventos fortes e gerou uma onda de umidade tropical para o Norte em direção ao Sul da Califórnia, Oeste do Arizona e o Sul do estado de Nevada.


É muito raro a Califórnia sofrer os efeitos de um ciclone tropical. Nenhum sistema nomeado jamais atingiu o estado da costa Oeste norte-americana, embora uma tempestade sem nome em 1939 tenha cruzado a costa ao redor de Long Beach, trazendo condições de tempestade tropical. O evento mais notável foi em 1976, quando a tempestade tropical Kathleen, que antes era um furacão sobre o oceano, trouxe chuva de até 400 mm no estado, um recorde estadual. A tempestade causou graves danos e foi responsável por 12 mortes nos Estados Unidos.

Os efeitos de Kay até contribuíram para um pequeno avião cair de uma pista na Estação Aérea Naval de San Diego North Island. Um pequeno avião ultrapassou a pista em San Diego durante os impactos da tempestade tropical Kay.  O Serviço Nacional de Meteorologia (NWS) advertiu que poderiam cair até 180 milímetros de chuvas numa área ao redor do incêndio que atinge cidade perto de Los Angeles, provocando risco de inundações e torrentes de lama em locais onde o solo queimado não consegue absorver um temporal repentino.


“Poderíamos passar de um evento de extinção de incêndios a uma chuva significativa, enxurradas, deslizamentos de terra”, disse Jeff Veik, da Unidade Riverside dos bombeiros, em uma reunião comunitária. “Temos dias desafiadores pela frente”.

O Oeste dos Estados Unidos sofre há mais de duas décadas com uma seca histórica que, segundo cientistas, está piorando por causa das mudanças climáticas provocadas pelas atividades humanas. Grande parte do campo está ressequido e coberto de ervas daninhas, criando as condições ideais para incêndios rápidos e destrutivos. Os climatologistas alertam que à medida que a Terra continuar esquentando, devido à queima incessante de combustíveis fósseis, estas condições vão piorar ainda mais.

Anúncios