Anúncios

Pancadas isoladas de chuva típicas de verão, trazidas por nuvens formadas pela combinação do forte calor e umidade elevada, atingiram várias regiões do Rio Grande do Sul na tarde de ontem. Em Porto Alegre, nuvens escuras avançaram sobre a cidade no fim da tarde (foto abaixo de Maurício Maciel) com trovoadas e chuva forte de curta duração só em alguns bairros.



Na região metropolitana, também houve chuva forte localizada no fim da tarde. Entre as cidades que tiveram chuva isolada com forte intensidade e de breve duração foi Canoas, a ponto de terem sido registrados alagamentos. Pelo Twitter, internauta relatou alagamento no campus da Ulbra e que sequer havia chovido em sua casa, localizada perto da universidade.


Claro que expllicamos, amigo Daniel. O seu depoimento na rede social Twitter escancara a realidade que texto de ontem do meteorologista Eugenio Hackbart descreveu sobre as pancadas de chuva de verão que são localizadas. “Numa grande cidade, chove em alguns bairros e nada cai de água em outros”, dizia o Professor Eugenio. “Por isso, estes dias de chuva localizada de verão são um tormento para o meteorologista e costuma gerar cobranças do público”, acrescentou. Quem não vê chuva, cobra a previsão que falava em chuva, quando em local apenas poucos quilômetros distante choveu e com forte intensidade.


Chuva localizada no fim da tarde de ontem na área de Esteio, na Grande Porto Alegre – Walescko Chimendes

Chuva intensa localizada atingiu também pontos do interior do Estado. Precipitação de 90 mm em apenas uma hora entre Jacuizinho e Tunas, no Norte gaúcho, provocou a queda de um pontilhão. Na sede do município, a um quilômetro de onde se mediu 90 mm, a chuva foi de só 5 mm. Na mesma região, na ERS-223, a chuva intensa de curta duração na estrada causou grave acidente após van aquaplanar pela água na pista (fotos da Rádio Planetário). O acidente teve um saldo de dois feridos.



A MetSul Meteorologia alerta que esta quarta-feira é de alto risco de chuva localmente forte a intensa, com potencial de alagamentos e transtornos, e ainda de temporais isolados de vento e granizo. Alguns temporais localizados podem ser até forte com danos. Frente fria de lento deslocamento traz chuva primeiro em áreas junto à fronteira com o Uruguai e no Sudoeste do Estado. Nas demais regiões, onde o sol aparece com nuvens, a chuva e os temporais ocorrem da tarde para a noite. A preocupação, como destacado, é com a probabilidade de fenômenos severos ou de forte intensidade isolados na segunda metade do dia, quando a temperatura está bastante alta (máxima de 34ºC a 36ºC no Centro e no Noroeste). O sistema frontal deve funcionar como gatilho na formação de muitas nuvens carregadas localizadas com potencial de trazer chuva localmente forte. Como estará muito quente e abafado, combustíveis para forte instabilidade, há risco alto de temporais, alguns até fortes. A chuva será irregular na passagem desta frente, com volumes baixos na maioria das áreas, e acumulados muito altos em setores isolados. Amanhã, o sistema frontal traz chuva para a Metade Norte no decorrer do dia, sobretudo perto de Santa Catarina, mas ao longo da quinta o tempo melhora na maioria das regiões do Rio Grande do Sul.

Anúncios