Anúncios

Entardecer da tórrida quinta-feira em Barão do Triunfo (Luiz Fernando Ambos)

O Rio Grande do Sul teve ontem (24) o segundo dia seguido com máximas acima de 30ºC e uma tarde escaldante de inverno com máximas que são mais típicas de jornada muito quente de verão. Os termômetros indicaram 36,7ºC em Dom Pedrito, 35,6ºC em São Gabriel, 35,2ºC em Santa Rosa, 34,8ºC em Campo Bom, 33,7ºC em Teutônia e 33,3ºC em Santa Cruz do Sul. Em Porto Alegre, todas as regiões geográficas da cidade anotaram mais de 30ºC e a máxima na Capital foi de 35,3ºC no bairro Menino Deus. Até que ponto esse calor é normal?

Dom Pedrito ter a máxima do Estado e ainda 36,7ºC em pleno agosto é incomum, afinal não é uma das cidades mais quentes normalmente do Rio Grande do Sul. A atuação de uma corrente de jato em baixos níveis, transportando ar quente de Norte, com mais força sobre a região determinou o aquecimento mais intenso em cidades como Dom Pedrito e São Gabriel.



Calorão em agosto, contudo, é recorrente e não é anormal. Vejamos a estatística de Porto Alegre dos últimos dez anos. A máxima na estação automática do Instituto Nacional de Meteorologia no bairro Jardim Botânico ontem foi de 32,9ºC. Verificando-se os dados dos últimos dez anos, nota-se que com frequência há forte calor em agosto e com marcas ainda mais altas. Em 27 de agosto de 2016, a estação do Jardim Botânico acusou 33,0ºC. Em 8 de agosto de 2015, a máxima foi de 35,2ºC. Em 2014, o dia 24 de agosto registrou 34,6ºC. Em 2012, máxima de 34,0ºC no dia 23 de agosto. Em 2011, os termômetros no local apontaram no dia 16 de agosto 33,1ºC. Em 2010, 33,2ºC no dia 23. Em 2009, fez 33,6ºC em 16 de agosto. E em 2007 máxima de 32,4ºC no dia 15.

O calor prossegue intenso nesta sexta-feira à tarde no Rio Grande do Sul, quando devem ser esperadas máximas de 32ºC a 35ºC em muitas cidades do Estado, inclusive na área de Porto Alegre. O sábado será ainda quente e abafado. Na próxima semana são esperados mais dias de temperatura alta.

Anúncios