O Rio Grande do Sul teve mais um dia de chuva muito irregular ontem, como previsto. Em Porto Alegre, por exemplo, em muitos bairros não choveu ou mal molhou a calçada após um começo de tarde com 38ºC no aeroporto e sensação acima de 40ºC. Em poucos bairros da cidade, a chuva do meio da tarde trouxe chuva moderada a forte.

Já na Grande Porto Alegre, dentro de uma mesma região se observou o mesmo padrão. Vale do Sinos, onde a máxima chegou a 40,3ºC em Parobé, teve pontos em que não choveu, como grande parte de São Leopoldo, mas em Sapiranga choveu forte. Cenário que se repetiu em muitos locais do interior.


Hoje vai ser diferente. A instabilidade desta terça-feira não será resultado de convecção associada ao calor e à umidade, mas decorrerá de um sistema de mesoescala, no caso uma frente fria.

Essa frente vai trazer chuva hoje em todas as regiões do Estado. Os volumes serão ainda muito variáveis de um ponto para outro, mas se espera chuva localmente forte a intensa de curta duração, até com volumes altos em alguns casos, em diversas cidades.

Isso pode resultar em alagamentos naqueles locais em que a chuva tiver grande acumulado em curto período.


Um risco desta terça é a ocorrência de vento forte. A frente fria se deslocará muito rapidamente pelo Estado e, quando isso ocorre, há um risco maior de vento forte. Por isso, a MetSul está advertindo para rajadas de vento na passagem da frente com risco de que ocorram vendavais com rajadas perto ou acima de 100 km/h em algumas cidades.

Essa chuva de hoje é crucial. Primeiro, o déficit hídrico é grande no Estado e o campo clama por chuva. Segundo, nos próximos sete dias vai chover muito pouco ou nada em grande parte dos municípios.