Anúncios

A MetSul Meteorologia adverte para a probabilidade entre hoje (6) e terça-feira (8) de elevados volumes em áreas do Leste do Sul do Brasil com acumulados isoladamente excessivos que devem superar a média de precipitação do mês inteiro, trazendo transtornos.

Esta primeira metade da semana terá fluxo de umidade do oceano para o continente com uma massa de ar frio de alta pressão no Atlântico. Isso vai determinar um constante aporte de umidade em direção ao continente, gerando instabilidade em áreas mais ao Leste do Sul do Brasil.


Antecipa-se que entre hoje e terça-feira à instabilidade seja frequente no Leste do Rio Grande do Sul, Santa Catarina e o Paraná. O fluxo de umidade oceânica deve gerar chuva de natureza orográfica (associada ao relevo) principalmente em áreas de Serra junto ao litoral e suas encostas e áreas próximas, sobretudo entre o Litoral Norte gaúcho e o Litoral do Paraná.

Chuva de natureza orográfica pode produzir volumes muitos altos de precipitação em curto período e é o cenário esboçado por alguns modelos numéricos. O Leste de Santa Catarina, em particular, pelas maiores elevações, têm um risco acentuado de chuva orográfica volumosa e excessiva.

O mapa abaixo mostra a projeção de chuva entre hoje e terça do modelo WRF da MetSul, disponível ao assinante na seção de mapas. Observa-se a tendência de chover 50 mm a 100 mm no período em diversos pontos da região da Lagoa dos Patos, no Rio Grande do Sul, até o Leste do Paraná.


Chama especial atenção na projeção o indicativo de acumulados acima de 150 mm e em alguns pontos e a sinalização de marcas de até 200 mm ou 250 mm em setores muito localizados, especialmente em Santa Catarina.

Sob este cenário, é possível que ocorram alagamentos e inundações com risco ainda de deslizamentos de terra e encostas com queda de barreiras em regiões de Serra. O risco é especialmente maior em pontos do Leste de Santa Catarina.

Anúncios