Anúncios

SMN/Argentina

Altos volumes de chuva foram registrados durante o fim de semana no Centro da Argentina com acumulados até superiores a 100 milímetros em pontos da província de Buenos Aires devido à atuação de um centro de baixa pressão e de uma frente fria que passou pela região. Os elevados acumulados de precipitação de sábado e ontem prolongam e agravam a já complicada situação das inundações que afetam a principal região agrícola da Argentina que é o chamado Pampa Úmido.

Assim como a MetSul Meteorologia já destacou aqui no começo do mês, uma significativa parte das áreas agrícolas da Argentina está neste momento completamente debaixo d’água. As inundações atingem quase um terço da produção agropecuária do país vizinho, sendo 25% da agricultura e 26% da região de pecuária. Na província de Buenos Aires, 60% da produção de leite está em áreas alagadas ou sob inundação.



Os dados são de um trabalho da Confederação de Associações Rurais de Buenos Aires e La Pampa (Carbap) a partir de levantamento por imagens de satélite. O informe alerta que está comprometida parte da produção de inverno. Mais de 150 mil hectares de trigo deixaram de ser plantados e outros 80 mil foram perdidos, conforme a Bolsa de Cereais de Buenos Aires.

A perspectiva não é favorável para a região. Conforme as nossas análises, as precipitações tendem a ficar próximas ou acima da média nos próximos 30 a 60 dias, o que vai retardar o recuo das águas. Nesta semana, com uma frente quente que vai avançar do Sul do Brasil para o Sul, parte da região pode voltar a ter chuva e inclusive localmente forte.

Anúncios