Anúncios

Rua Mannerheimintie coberta de neve e gelo em Helsinque, Finlândia, nesta sexta-feira com sensação térmica de 20ºC abaixo de zero | ALESSANDRO RAMPAZZO/ANADOLU/AFP/METSUL METEOROLOGIA

Suécia e Finlândia registraram as menores temperaturas observadas nos dois países neste século. De acordo com dados de estações meteorológicas oficiais dos serviços nacionais de Meteorologia dos dois países, a temperatura desceu a 44,3ºC abaixo de zero em Enontekiö (Finlândia) e 43,8ºC negativos em Naimakka (Suécia).

As menores temperaturas neste século na Escandinávia são -44.3°C Enontekiö (Finlândia) em 2024; -44.0°C em Storbo (Suécia) em 2001; -43.9°C em Drevsjø (Noruega) em 2001; -43.8°C Naimakka (Suécia) em 2024; -43.6°C em Kvikkjokk-Årrenjarka (Suécia) em 2024; e em Inari & Kittilä (Finlândia) em 2006.


Em Helsinque, capital da Finlândia, as temperaturas atingiram 16ºC abaixo de zero na noite de quinta-feira. De acordo com o Instituto Meteorológico Finlandês, o vento fez com que a sensação ficasse ao redor de 25ºC negativos na cidade.

A semana gelada reacendeu uma antiga e perplexa questão sobre clima e tempo: não era suposto que o clima esquentasse? “Recebo mensagens nas minhas redes sociais afirmando que a mudança climática não existe”, disse a meteorologista do serviço finlandês Kerttu Kotakorpi.


Nesta sexta-feira, os preços da eletricidade na Finlândia atingiram níveis recordes. À noite, a eletricidade custava 2,35 euros por quilowatt-hora, incluindo imposto sobre valor agregado. As temperaturas gélidas aumentaram o consumo de eletricidade para quase níveis recordes, e na quinta-feira, a empresa nacional de rede Fingrid pediu aos finlandeses que racionassem o uso da luz.

O Instituto Meteorológico Finlandês respondeu se ondas de frio tão intensas estão se tornando mais raras à medida que o clima se aquece. A resposta dos meteorologistas foi curta: sim. A Finlândia está aquecendo duas vezes mais rápido que a média global, à medida que as emissões de gases de efeito estufa causadas pelo homem aquecem o planeta.

“Se você pensar no aquecimento global como fenômeno, isso significa especificamente que o clima está esquentando. Os comunicados do Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC), dizem que o calor extremo aumenta e o frio extremo diminui”, afirmou Mika Rantanen, pesquisador do Instituto Meteorológico Finlandês. “Esses eventos extremos de frio, se é possível chamá-los assim, estão se tornando mais raros”, destacou.

O mesmo foi dito por Joonas Merikanto, pesquisador sênior do Instituto Meteorológico Finlandês. “A mudança climática aumenta os períodos quentes no verão e diminui os períodos gelados no inverno. Essa é a tendência”, assinalou.

A MetSul Meteorologia está nos canais do WhatsApp. Inscreva-se aqui para ter acesso ao canal no aplicativo de mensagens e receber as previsões, alertas e informações sobre o que de mais importante ocorre no tempo e clima do Brasil e no mundo, com dados e informações exclusivos do nosso time de meteorologistas.

Anúncios