Anúncios

A semana começou com forte instabilidade no Rio Grande do Sul. Na segunda, chuva forte atingiu diversas cidades das Metades Oeste e Norte do Estado. Os maiores acumulados de chuva em 24 horas até 9h desta terçano estado, entre as estações convencionais do Instituto Nacional de Meteorologia, foram de 87,4 mm em São Luiz Gonzaga e 46,8 mm em Iraí. Na segunda, Tapejara teve alagamentos e em Estação a chuva somou 80 mm em apenas três horas. Em Santa Rosa, entre 16h e 16h30m da segunda, choveu 40 mm. No total do dia, a precipitação bateu 70 mm. Os bombeiros de Santa Rosa receberam 15 chamados de residências e do comércio. Foram registrados alagamentos em 14 residências e em um estabelecimento comercial. A força da água derrubou o muro do Estádio Municipal Carlos Denardin (foto de Pavel Bauken do Correio do Povo).



E vem mais chuva forte para o Rio Grande do Sul entre esta quarta e a quinta-feira. Um vórtice ciclônico na Argentina vai intensificar a instabilidade no Estado com prováveis ocorrências de chuva forte localizada. Não estão descartados eventos de chuva extrema isolados com acumulados muito altos de até 100 mm ou mais em curto período. Chama-se atenção para o fato de que nenhuma região do Rio Grande do Sul está livre do risco de chuva localmente forte nos dois dias, porém as precipitações mais fortes tendem a ser localizadas. Em muitas cidades a chuva deve ser ínfima. Modelos, como o WRF, indicam para esta quarta-feira um maior potencial de chuva forte para o Sul e a Metade Leste do Estado, o que inclui a região metropolitana de Porto Alegre. Se estas projeções vierem a se confirmar, será uma boa notícia para a contenção do fogo que continua a consumir a reserva ecológica do Taim (onde o vento seguirá forte), mas poderá ser uma má notícia em caso de precipitações volumosas em áreas urbanas, o que traria transtornos. Atente como o modelo WRF projeta instabilidade forte a intensa no decorrer desta quarta-feira (mapa abaixo de refletividade) sobre o Sul e a Metade Leste do Rio Grande do Sul.


Pode chover forte com volumes localmente muito altos também no Uruguai, sobretudo em departamento do Centro, Sul e Leste do País no decorrer desta quarta. Não se pode afastar a possibilidade de temporais isolados com vento forte e granizo, apesar da grande preocupação ser com risco de chuva forte. Enfatizamos que não se trata de um quadro de instabilidade organizada e que, por isso, nesta quarta, tal como ocorreu hoje, o céu deve ter períodos de abertura em algumas regiões do Estado, propiciando que o sol até apareça e haja um aquecimento com sensação de abafamento por conta da alta umidade.



O Rio Grande do Sul está imerso na mesma massa de ar quente, úmido e instável com baixa pressão atmosférica que cobre grande parte da Argentina, Uruguai e o Sul do Brasil com eventos de chuva forte localizada. Choveu muito também em pontos do Oeste de Santa Catarina, como em Chapecó, e no Paraguai. Em Concepción, no Paraguai, o volume acumulado em 24h até 9h de hoje foi de 256 mm, sendo 192 mm em três horas. A instabilidade é acentuada na Argentina, onde estão sendo registros eventos de chuva em volumes excepcionais, pela presença sobre o Centro do país de um vórtice ciclônico em médios e altos níveis da atmosfera (imagem acima), o que contribui para perturbar ainda mais a atmosfera.

Anúncios