A semana que começa promete ser relativamente tranquila em sua primeira metade aqui no Estado. Já na segunda metade teremos a atmosfera muito mais “agitada” no Rio Grande do Sul e no Cone Sul da América. No Estado, o sol aparece com nuvens hoje, amanhã e quarta, mas ocorrem períodos de maior nebulosidade, mais concentrados no Norte e no Nordeste gaúcho, onde não se descarta chuva e garoa isolada (projeções abaixo do modelo MBAR). A chance maior de precipitação é para a região entre a Grande Porto Alegre, a Serra e o Litoral Norte, mas, enfatizamos, os volumes em regra devem ser baixos e as precipitações tendem a ser isoladas e passageiras. Alguns pontos do Centro do Estado também poderão ter instabilidade isolada no período. No geral, quase todos os municípios não devem ter nada de chuva até a metade da semana.


A temperatura estará em gradativa elevação, mas faz frio em cidades do Sul e do Oeste do Estado nesta segunda com mínimas até de um dígito, sobretudo na área de fronteira com o Uruguai, onde o frio será mais intenso ao amanhecer. Nas áreas sob maior nebulosidade as máximas se elevam menos, principalmente amanhã (terça). Neste domingo, o Estado teve mínimas de 7,9ºC em Santa Rosa, 8,3ºC em Jaguarão, 8,4ºC no Chuí e Farroupilha, 8,5ºC em Canela, 8,9ºC em Bagé, e 9ºC em Livramento e Dom Pedrito. No Uruguai, o frio deste domingo impressionou. A mínima nacional em Mercedes foi de 0,2ºC. Outras mínimas do domingo no Uruguai: Young 4,4ºC, Florida, Durazno 4,6ºC, Salto 4,8ºC, Tacuarembó 5ºC. Mínima em Mercedes (Soriano) muito abaixo de outras estações do país e tão baixa já no começo de abril poderia até sugerir erro de leitura pelo observador, contudo muito perto dali, na Argentina, fez 3,4ºC na cidade de Rosário e 1,7ºC em Gualeiguaychu.



Montevidéu teve passagem de nebulosidade associada a um ciclone no sábado e que antecedeu um reforço de ar frio que derrubou a temperatura a 0,2ºC no departamento de Soriano (foto de Nico de León de Montevidéu)

Frente fria vai se formar no Centro da Argentina na quarta-feira e avançar para o Uruguai e o Rio Grande do Sul. Antes, haverá ingresso de ar quente (com chance de uma corrente de jato em baixos níveis) com forte aquecimento aqui no Estado na quarta e em algumas regiões na quinta, antecedendo o sistema frontal. A frente fria já traz chuva para parte do Rio Grande do Sul na quinta (mais o setor Oeste) e no restante das regiões na sexta-feira. Preocupa o risco de chuva localmente forte a intensa e de temporais isolados nos dois dias. Modelos, durante o fim de semana, ora indicavam chuva muito volumosa para Porto Alegre e a Depressão Central na sexta, ora retiravam a chuva forte. Se hoje é difícil ainda dizer onde deve chover mais, já é possível antecipar-se alto risco de chuva localmente forte no Estado na segunda metade da semana.



Entre quinta e sexta-feira, conforme vários modelos, haverá a formação de um ciclone extratropical muito intenso na costa da Patagônia. De acordo com as projeções (acima do modelo europeu) este ciclone não migraria para Leste, afastando-se do continente, mas sim avançaria para Norte/Nordeste, junto ao litoral da Argentina, o que poderia trazer muito vento para Buenos Aires e o Uruguai no próximo fim de semana, além de parte do Rio Grande do Sul. Outra conseqüência seria impulsionar uma massa de ar frio de forte intensidade mais ao Norte, o que derrubaria com força a temperatura no Cone Sul no final da semana. Logo, os próximos dias prometem ter muita informação e vários posts. Fique ligado !