Anúncios

Igor Camacho/Arquivo

A estiagem é muito forte e tem castigado o estado do Paraná desde a primavera do ano passado, registrando-se grande déficit hídrico principalmente em cidades do Norte e do Leste paranaense. A chuva muito abaixo da média dos últimos meses provoca uma crise hídrica que já compromete o abastecimento de água. 

O quadro é ainda mais grave na região metropolitana de Curitiba e a região sofre com racionamento de água há meses. Analisando-se os dados de precipitação da estação convencional do Instituto Nacional de Meteorologia na capital paranaense compreende-se a severidade da crise hídrica diante dos números. 

Comparando os acumulados mensais com as médias históricas nos primeiros 7 meses de 2020, a cidade de Curitiba registrou 369,5 mm enquanto que o normal histórico para o período seria 1017,1 mm, ou seja, choveu somente 36% da média histórica. 

Em janeiro, a chuva em Curitiba somou tão-somente 46,9 mm contra uma média histórica mensal de 218,3 mm. Em fevereiro, a precipitação atingiu 79,7 mm, muito abaixo da média histórica de 166,2 mm. Em março, a chuva foi de míseros 13,6 mm e a normal histórica do mês é de 147 mm. Já em abril, a precipitação mensal alcançou novamente um valor baixíssimo com 21,6 mm, quando a média é de 95,7 mm. Em maio, outro mês com chuva escassa e apenas 28,4 mm, sendo que a média é 113,5 mm. Em junho, finalmente, chuva acima da média. Foram 126,7 mm contra uma média de 94,1 mm. Em julho, a chuva voltou a ser pouca. Só 41,3 mm para uma média de 108,3 mm.


Alento 

Modelos de previsão de tempo, finalmente, sinalizam um cenário de recuperação, ao menos no curto prazo. Nos próximos sete dias uma frente fria semi-estacionaria irá propiciar vários dias de chuva no Paraná, incluindo a região de Curitiba. Além da maior freqüência, há previsão de acumulados que poderão somar várias vezes a média mensal de agosto (que é baixa) no período. 

Ressalta-se ainda que há risco de temporais que podem também acrescentar volumes de chuva até maiores que os modelos indicam. Alerta para o risco de tempo severo  com possibilidade de vendavais e granizo. 

O quadro da crise não irá se reverter em definitivo, mas haverá uma significativa melhora diante do quadro crítico atual. 

Anúncios