Anúncios

Miro Dalcin

O Rio Grande do Sul terminou abril com o maior número de incêndios em vegetação já registrado desde o começo das medições no final da década de 90. 

Os focos de calor que foram identificados por satélites, em dados divulgados pelo Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais), até o dia 29 de abril ficaram em 457. Número quatro vezes maior que a média histórica mensal de 97. O recorde anterior para abril de 302 focos do ano de 2004, quando também havia seca, foi largamente superado. 


É uma situação absolutamente incomum e consequência da seca atual que é uma das piores em décadas no território gaúcho e no Sul do Brasil. Os dados do Inpe ainda indicaram que entre 1º de janeiro e 30 de abril, o Rio Grande do Sul teve 805 focos de calor detectados por satélite, quando a média do período é de 286. 

Já para o bioma Pampa, abril teve até o dia 30 um total de 335 incêndios, muitíssimo acima da média histórica de 64. Ou cinco vezes mais. O recorde de abril era de 168 em 2009. 


Nos três estados do Sul do Brasil, o número de incêndios passou de mil pela primeira vez no mês desde o começo dos registros. Foram 1.074 até o dia 29, desbancando com folga o recorde anterior de 668 em abril de 2003.

Anúncios