Anúncios

Um novo episódio de chuva volumosa no Sul do Brasil marcará o final desta semana com altos acumulados de precipitação previstos pela MetSul Meteorologia entre algumas regiões do Rio Grande do Sul e de Santa Catarina que podem ter mais de 100 mm com volumes isolados até acima de 150 mm em apenas 48 horas.

A instabilidade maior nesta quinta-feira se concentra entre Santa Catarina e o Paraná com chuva mesmo localmente forte em pontos mais ao Norte e o Nordeste catarinense e do Sul paranaense. A tendência é que a chuva comece a avançar de Norte para Sul, o que deve fazer com que cidades mais ao Norte e o Noroeste do Rio Grande do Sul, particularmente do Médio e Alto Uruguai, voltem a ter precipitação até o fim do dia. São os casos de Iraí, Frederico Westphalen e Erechim.


A instabilidade ganha mais força nesta sexta-feira sobre Santa Catarina e parte do Rio Grande do Sul. Chove em grande parte do território catarinense e a chuva alcança um maior número de áreas do estado gaúcho, atingindo toda a Metade Norte e parte da faixa central com chance de instabilidade muito isolada e fraca até em pontos da Metade Sul. Por isso, não se descarta que volte a chover na região de Porto Alegre nesta sexta, especialmente da tarde para a noite, mas se chover os volumes na área da capital gaúcha tendem a ser baixos.

Será a Metade Norte do Rio Grande do Sul e parte de Santa Catarina que terão muita chuva ao longo da sexta-feira. Os dados indicam uma alta probabilidade de precipitações volumosas numa faixa que se estende da região das Missões até o Leste catarinense, passando pelo Planalto Médio, áreas mais ao Norte da Serra e dos Aparados, e ainda o Sul e o Leste de Santa Catarina. Nestas áreas, muitas cidades devem ter em apenas dois dias mais de 50 mm com marcas de até 100 mm.

As nuvens que atuarão nestas regiões devem ser de maior desenvolvimento vertical e, por isso, as pancadas de chuva devem ser localmente torrenciais com altos volumes em curto período, acompanhadas de raios, não se descartando o risco de granizo e vento forte isolado. A maior incidência de raios deve se dar entre o Oeste e Meio-Oeste catarinense, além do Nordeste de Santa Catarina.

Os mapas abaixo mostram as projeções de chuva para 72 horas (incluem os índices de hoje no Paraná e no Norte de Santa Catarina) até 21h de sábado do modelo WRF da MetSul e do modelo Icon do serviço meteorológico alemão. Ambos estão disponíveis para o assinante na seção de mapas da página com até quatro atualizações por dia. Observa-se que os dois modelos estão em acordo em indicar uma faixa de chuva volumosa se estendendo da Metade Norte do Rio Grande do Sul até o Leste e o Nordeste catarinense.


A tendência é que a chuva volumosa se afaste para o oceano no decorrer do sábado, entretanto pontos do Leste de Santa Catarina e do Paraná ainda podem ter instabilidade com risco de pancadas fortes isoladas. Entre domingo e segunda-feira, novas áreas de instabilidade vão passar a atuar sobre o Rio Grande do Sul.

Assine gratuitamente nossa newsletter para notícias e alertas


Como as regiões que devem ter chuva mais volumosa e localmente excessiva no final desta semana são áreas de relevo mais acidentado e muitas encostas, a MetSul adverte que os altos acumulados de precipitações podem trazer, além de alagamentos e inundações repentinas, também o risco de queda de barreiras em rodovias e deslizamentos de terra em zonas urbanas e rurais. Por outro lado, a chuva deve beneficiar os níveis dos reservatórios das usinas de Itá e Machadinho.

Anúncios