Anúncios

Se quase todo o Rio Grande do Sul teve uma segunda-feira de sol com céu azul e poucas nuvens, é até difícil crer que uma região do Estado teve dia chuvoso, mas ocorreu. Foi o que ocorreu no Extremo Sul gaúcho que experimentou um dia de muitas nuvens e chuva que chegou a ser localmente forte e volumosa.

Até o final da tarde desta segunda-feira, a estação do Instituto Nacional de Meteorologia, na Barra do Chuí, em Santa Vitória do Palmar, registrou 45 mm. Proprietários rurais de Santa Vitória do Palmar chegaram a registrar 70 mm em algumas de suas propriedades. A instabilidade afetou ainda Jaguarão, onde o Cemanden anotou 30 mm, e Arroio Grande com 16 mm.


A instabilidade no Sul gaúcho foi localizada na região e associada a uma área de menor pressão atmosférica que atingiu também parte do Uruguai, onde choveu mais de 50 mm em pontos dos departamentos de Rocha e Cerro Largo. Esta instabilidade segue sobre o Sul gaúcho na noite desta segunda, alcançando a região de Pelotas, mas deve se dissipar gradualmente ao avançar para Norte.


Imagem de satélite da tarde de hoje mostrava tempo aberto na maior parte do Rio Grande do Sul e instabilidade no Extremo Sul gaúcho

A chuva volumosa de hoje na região do Chuí e de Santa Vitória do Palmar ocorre após um começo de mês que já foi chuvoso e um janeiro de muita água. Proprietário rural de Santa Vitória do Palmar, que conta com a consultoria da MetSul e mantém o seu próprio controle pluviométrico em sua propriedade, registrou 206 mm em janeiro, terceiro maior acumulado no mês desde que se iniciaram as medições em 1999. No ano passado, com a intensa estiagem, somente 44 mm tinham se precipitado em janeiro.

Assine gratuitamente nossa newsletter para notícias e alertas

Anúncios