Pierre Markuse/Sentinel Hub

O serviço de proteção aérea contra incêndios florestais da Rússia disse neste sábado que os incêndios florestais na Sibéria cresceram quase cinco vezes na semana.

Os incêndios ocorrem em meio a uma onda de calor excepcional em partes da região. Uma máxima de 38°C foi registrada há uma semana na cidade de Verkhoyansk. Se a leitura for confirmada pela Organização Meteorológica Mundial, seria o dia mais quente já registrado no Ártico.


De acordo com dados divulgados hoje pela Avialesookhrana, a agência russa de gerenciamento de incêndios florestais, 1,15 milhão de hectares estavam queimando na Sibéria em áreas que não podem ser alcançadas pelos bombeiros.

A área mais atingida é a República de Sakha, onde Verkhoyansk está localizada, com 929.000 hectares em chamas.