Anúncios

Imagens de satélite de antes do desastre e captadas hoje mostram a magnitude da destruição em Beirute, no Líbano, após a violenta explosão de ontem. Diversas empresas e agências internacionais divulgarem hoje suas imagens. Caso da Cnet/Airbus Space.

Cnet/Airbus Space

Cnet/Airbus Space

Cnet/Airbus Space

Cnet/Airbus Space

A empresa norte-americana Maxar Technologies também divulgou imagens de satélite da área portuária de Beirute antes e depois da megaexplosão na capital libanesa. 

Maxar/BlackSky Monitoring

Vários armazéns desapareceram e um navio de cruzeiro chamado Orient Queen pode ser visto, segundo Allison Puccioni, analista e fundadora da Armillary Services, uma empresa independente parceira da BlackSky.

A agência espacial russa Roscomos igualmente divulgou imagens de satélite do antes e depois do desastre. A primeira imagem, captada em novembro passado, mostra grandes armazéns na orla da capital libanesa. Edifícios muito próximos também podem ser vistos em direção ao mar com uma série de ruas estreitas entre as principais artérias da cidade. Na imagem de hoje, captada pela agência espacial russa após a explosão de ontem, quase não há vestígios dos armazéns.

A Planet Labs também liberou imagens dos efeitos do desastre libanês com registros por satélite. As imagens do SkySat mostram o antes e depois do impacto da explosão de ontem em Beirute. As imagens foram  capturadas em 31 de maio de 2020 e hoje.

Planet Labs

Imagens de satélite divulgadas pela ImageSat International mostram a devastação na área portuária de Beirute. Um navio de cruzeiro que estava no porto, o Orient Queen, foi virado com a força da explosão. 

ImageSat International

A explosão em Beirute trouxe danos em um raio de até 30 quilômetros e chegou a ser ouvida no Chipre, a 250 quilômetros de distância. O aeroporto internacional de Beirute, a 15 quilômetros do local da explosão, experimentou muitos danos. 

O governador de Beirute, Marwan Abboud disse que metade da cidade foi atingida e chegou a comparar o desastre  aos atentados com bomba atômica às cidades japonesas de Hiroshima e Nagasaki.

“Parece o que aconteceu no Japão, em Hiroshima e Nagasaki. Isso é o que me lembra. Em toda a minha vida nunca vi uma destruição nesta escala”, disse o governador, aos prantos. “É uma catástrofe nacional. É um desastre para o Líbano. Não sabemos como vamos nos recuperar disto. Temos que nos manter fortes, temos que ser valentes”, acrescentou.

Mais de cem pessoas morreram e outras quatro mil ficaram feridas em Beirute em consequência da explosão atribuída a uma carga de 2.700 toneladas de nitrato de amônia estocadas no Porto desde 2014.

Anúncios