Anúncios

Rio Jaguarão – Ju Nunes

O Rio Grande do Sul tem mais de 130 municípios em situação de emergência em razão da estiagem e a tendência é que o número siga aumentando.

A situação é muito grave de déficit hídrico em muitas cidades do interior gaúcho com perdas significativas no setor primário, escassez de água para consumos humano e animal, e rios que estão secando. Os mananciais de água estão baixando cada vez mais, trazendo cenas impressionantes e aos quais os gaúchos não estão acostumados, como se vê em barragem no município de XV de Novembro (foto).

Viviane Castelli

A atual estiagem é uma das piores deste século no Estado, ao lado das registradas nos anos de 2004, 2005 e 2012, avalia a MetSul Meteorologia. Os meteorologistas da empresa advertem que o regime de chuva não deve se normalizar tão cedo no Rio Grande do Sul e que o retorno das precipitações acima da média vai tardar.

Neste fim de semana, deve chover de forma muito isolada no interior, especialmente do Centro para o Noroeste gaúcho, mas são pancadas muito isoladas e que não revertem o atual cenário, dramático em alguns municípios. Na próxima semana, estas pancadas vão seguir ocorrendo por conta do forte a intenso calor, o que, igualmente, não vai alterar o quadro no Estado.


A onda de calor que se desenha e terá início neste fim de semana, de acordo com os meteorologistas da MetSul, tende a ser muito prolongada, o que é pouco comum em março, e ainda será intensa em alguns momentos e com potencial mesmo de trazer marcas recordes para o mês e sem precedentes em março em algumas cidades.

A combinação de chuva persistentemente irregular com excesso de calor determinará um agravamento da estiagem com mais perdas no campo, diminuição da oferta de água e um risco muitíssimo acentuado de incêndios em vegetação.  

 

Anúncios