Anúncios

Muitos raios acompanharão a chuva intensa com granizo no Rio Grande do Sul | Fabiano Gutierres/Arquivo

A MetSul Meteorologia alerta para uma terça-feira de alto risco e até com condições perigosas de tempo severo no Rio Grande do Sul. A atmosfera vai estar extremamente instável no Estado com a atuação de uma frente quente. Ar muitíssimo quente chegando ao território gaúcho pelo Oeste e o Norte vai trazer enorme energia para a atmosfera que gerará nuvens por demais carregadas e de tempestades em diversas regiões. Os temporais já atingem algumas regiões nesta noite de segunda com a formação da frente quente.


Frente quente, que ocorre quando uma massa de ar quente avança sobre uma fria, o que faz do fenômeno comum no inverno, por regra costuma trazer chuva intensa, muitos raios e granizo. Este é o cenário que se espera para esta terça. O Rio Grande do Sul terá enorme frequência de raios nesta terça e muitos nuvem-solo com intensas trovoadas, o que torna muito perigoso estar ao ar livre.

O granizo é outra grande preocupação desta terça-feira. Queda de granizo vai ocorrer em grande número de municípios e em alguns pontos as pedras de gelo podem ser de tamanho médio a grande, logo há ameaça de danos como destelhamentos. Hoje, à medida que a frente quente começava a se organizar sobre o Rio Grande do Sul, granizo já foi registrado em pontos do Estado como São Borja.

Os riscos meteorológicos desta terça incluem ainda vento forte. São esperadas nuvens do tipo Cumulonimbus, de temporal e de grande desenvolvimento vertical, que trarão o granizo e os raios. Estas nuvens são capazes ainda de gerar vento forte e que isoladamente pode ser intenso, não se afastando episódios muito localizados de vento destrutivo por correntes descendentes (downburst) ou mesmo tornados.

A chuva também será um grave risco meteorológico nesta terça. Os volumes devem ser muito altos em diversas regiões, notadamente em parte do Oeste, do Centro, no Sul e no Leste do Estado com acumulados em algumas cidades de 30 mm a 50 mm por hora e totais diários de até 100 mm a 200 mm em alguns pontos. Com isso, é alto o risco de alagamentos, inundações e transbordamento de rios e córregos.

O mapa mostra a projeção de chuva acumulada do modelo Icon do serviço meteorológico alemão para 72 horas até 9h da manhã de quinta-feira. Este e outros modelos de chuva estão disponíveis ao assinante na seção de mapas do site com até quatro atualizações por dia e tendências para até 15 dias e semanas.

As áreas de maior risco de tempo severo nesta terça no Rio Grande do Sul são parte do Oeste, a Campanha, o Centro do Estado, a Campanha, o Sul gaúcho, os vales, e o Leste do Estado que inclui a Grande Porto Alegre, o Litoral e a Serra Gaúcha. A Capital e a região metropolitana estão compreendidas, assim, na zona de maior risco meteorológico com possibilidade de chuva volumosa e temporais de vento e granizo com muito raios.

No Noroeste e no Norte gaúcho, ao contrário, que estarão sob a influência do ar muito quente ao Norte da frente quente, o sol aparecerá com nuvens e o dia será de muito calor com excessivo abafamento, o que não permite se afastar chuva ou granizo isolados com algumas nuvens localizada mais carregada, mas na esmagadora maioria dos municípios destas regiões a chuva somente chega na quarta com uma frente fria.

Uma vez que a frente quente recua para o Sul com o aprofundamento de um centro de baixa pressão em Buenos Aires que vai dar origem a um ciclone, entre a tarde e a noite podem ocorrer momentos de melhoria em pontos do Oeste, do Centro e do Nordeste do Estado, incluindo Porto Alegre, regiões em que o pior da instabilidade deve se dar entre a madrugada e de manhã, prolongando-se até o começo da tarde em alguns pontos.


Por isso, em pontos destas regiões, não se descarta que o sol apareça durante a tarde com muito abafamento e excessiva umidade sobre superfícies como pisos, paredes e azulejos.

Assine gratuitamente nossa newsletter para notícias e alertas

Na quarta-feira, um ciclone extratropical se forma na região de Buenos Aires e vai dar origem a uma frente fria. A frente quente entre o Uruguai e o Rio Grande do Sul se converte em fria à medida que passa a ser impulsionada não mais por ar quente e sim por ar frio e atravessa o estado gaúcho no decorrer do dia com chuva e temporais, sendo o risco de vento forte a maior preocupação. No Oeste e no Sul, a chuva pode ser intensa no começo da quarta.

Anúncios