Anúncios

A primavera começa em poucos dias e a tendência é que no Rio Grande do Sul registre chuva acima da média. Algumas regiões, inclusive, podem ter precipitação muito acima da média histórica nos últimos três meses do ano.

O mapa abaixo mostra uma projeção realizada com base em vários modelos climáticos dinâmicos e estatísticos para o último trimestre de 2018 (outubro a dezembro) em que se observa a probabilidade de chuva em volumes superiores ao normal no período.


Também o modelo probabilístico do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) indica um sinal positivo na precipitação no Sul do Brasil no último trimestre deste ano.

Uma das preocupações da MetSul para este último trimestre do ano é a possibilidade de cheias de rios e enchentes no Rio Grande do Sul. São prováveis episódios de chuva excessiva como que tivemos no começo deste mês e que em algumas cidades provocaram alagamentos e inundações.

O Pacífico hoje na faixa equatorial, mesmo sem condições ainda de El Niño, está mais quente do que o normal (neutralidade quente) e a tendência é de que aquecimento maior agora no último trimestre, o que pode pode levar à declaração de um evento de El Niño mais tarde neste ano.


Sob estas condições, a primavera, que já é um período do ano propício a episódios de chuva excessiva e freqüentes tempestades, pode ter volumes de precipitação altos. Agora, no fim de setembro, várias regiões gaúchas podem enfrentar um evento de chuva volumosa.

Assine gratuitamente nossa newsletter para notícias e alertas

 

Anúncios