Anúncios

Temporais que espalharam estragos na Argentina e no Uruguai começaram a ingressar no Rio Grande do Sul na tarde de sábado pela fronteira Sul. Em Jaguarão, as rajadas de vento chegaram a 112 km/h. A linha de tempestades logo depois chegaria a Pelotas com muita força e vendaval acima de 100 km/h que produziu destelhamentos, o colapso de estruturas e queda de árvores (fotos).


À noite, no sábado, a ventania alcançou a área de Porto Alegre com rajadas no aeroporto de 82 km/h, mas que foram mais intensas dentro da cidade. A Capital, pelo segundo fim de semana seguido, se viu afetada por queda de árvores resultante de ventania.

Os temporais eram alertados pela MetSul e decorrer do avanço de uma frente fria numa atmosfera que se advertia muito quente e, assim, um tanto propícia a tempestades. As máximas no sábado ficaram ao redor dos 35ºC na área metropolitana e em várias localidades do interior. No Norte da Argentina chegou a fazer 43ºC.


Hoje, apesar de chuva localmente forte no Estado, a instabilidade enfraqueceu. Entre esta segunda e a terça, com a aproximação de ar frio pelo Sul, a instabilidade aumentará novamente no Rio Grande do Sul, mas o risco maior agora não será vento e sim chuva que pode ser forte e volumosa em diferentes localidades na soma dos dois dias. Durante a segunda metade da semana predomina o tempo seco com ar mais frio no Estado.

Assine gratuitamente nossa newsletter para notícias e alertas

 

Anúncios