Anúncios

Grandes inundações castigam a Austrália neste fim semana. O estado mais atingido é de New South Wales. Em alguns locais, as enchente são as maiores em décadas.  


Os serviços de emergência australianos emitiram alertas para ventos fortes e inundações devido ao mau tempo. Milhares de moradores de Nova Gales do Sul, no Sudeste do país, já evacuaram suas casas. Animais também sofrem com as inundações.

Koala Hospital | Divulgação

Segundo dados da Meteorologia australiana, na semana entre os dias 13 e 19 de março foram registrados acumulados de chuva superiores a 300 milímetros nas porções Noroeste e Sudeste.

Bureau of Meteorology | Divulgação

Além disso, estão sendo previstas chuvas torrenciais com mais de 100 milímetros caindo em cerca de uma hora em alguns pontos. Sydney tem previsão de 200 mm em 24 horas com transbordamento de cursos d’água.

Government of New South Wales | Divulgação

Government of New South Wales | Divulgação

Isso tem feito com que os níveis dos rios atinjam valores históricos. Portanto, as autoridades têm alertado para enchentes perigosas, com risco à vida.

Até o momento o Sudeste da Austrália tem sido o mais afetado. Os serviços de emergência do estado, em Nova Gales do Sul, atenderam pelo menos 57 salvamentos e a mais de 1.300 pedidos de socorro entre quinta (18) e sexta feira (19).

O sistema meteorológico que está causando todo esse transtorno está se deslocando para Sul e deve atingir a região de Sydney neste sábado (20). 

Por que tanta chuva na Austrália? 

O tempo na Austrália é influenciado por diversas oscilações climáticas. Uma das principais é o El Niño Oscilação Sul (ENOS). Assim como outras áreas do globo, o país está sofrendo a ação da fase negativa do ENOS, a famosa La Niña.

Ela ocorre quando os ventos alísios equatoriais ficam mais fortes, trazendo água mais fria de baixo. Isso resulta no resfriamento da superfície do Oceano Pacífico tropical central e oriental. 

Os ventos alísios intensificados e ajudam a acumular água quente em superfície no Oeste do Pacífico e ao Norte da Austrália.

Em síntese, com La Niña, águas mais frias na direção da América do Sul e mais quentes na direção da Austrália. Por isso, La Niña tem na Austrália o efeito do El Niño no Sul do Brasil: chuva volumosa.

Estas águas mais quentes significam que mais nuvens se desenvolvem à medida que o ar quente e úmido sobe na atmosfera. 

Assim, são favorecidas fortes chuvas no Norte da Austrália, ainda mais quando essa configuração se soma a áreas de baixa pressão em superfície, como está ocorrendo no momento.

Tais eventos extremos já eram previstos pelos meteorologistas australianos. O cenário, porém, apontava maior probabilidade para o Leste e Nordeste da Austrália.


Vai piorar a chuva 

O quadro ainda é preocupante na Austrália. Novas áreas de instabilidade estão previstas para a próxima semana com mais chuva.

Assine gratuitamente nossa newsletter para notícias e alertas

A continuidade de chuva agravará a situação, afinal não haverá trégua o suficiente para os níveis dos rios diminuirem. Além disso, são previstos os maiores volumes de chuvas desde fevereiro de 2020.  

Anúncios