O corredor de fumaça da Amazônia e do Pantanal que escoa pelo interior do continente, a Leste da Cordilheira dos Andes, em direção ao Centro da Argentina, o Uruguai e o Sul do Brasil, está muito denso neste sábado (26). É uma das maiores densidades até agora no ano do corredor de fumaça rumo ao Sul do Brasil, conforme a análise da MetSul. A imagem do satélite meteorológico GOES-16 mostrava com grande nitidez na manhã de hoje o fluxo de fumaça de Norte para Sul pelo interior do continente.

A presença da fumaça era visível na manhã de hoje em Porto Alegre. Apesar de nuvens em parte do céu da capital gaúcha neste sábado, áreas sem a presença de nebulosidade e que deveriam estar com o céu em tom azulado tinham a aparência de fosco com aspecto de nublado. A fotografia foi feita pela MetSul no Parque Farroupilha às dez da manhã.

Por que o corredor de fumaça está tão denso neste sábado? A explicação está em uma corrente de jato em baixos níveis da atmosfera. Trata-se de um corredor de vento, a cerca de 1.500 metros de altitude, que se origina na Bolívia, e transporta ar seco e muito quente para o Estado. E como há muita fumaça no ponto de origem, transporta junto a fuligem das queimadas para o Rio Grande do Sul. Esta corrente de jato atua com forte intensidade neste fim de semana com vento em alguns pontos perto ou acima de 100 km/h a 1.500 metros de altitude, logo o transporte da fumaça da Bolívia e do Centro-Oeste do Brasil está muito mais rápido do que o habitual.

Com chuva já ocorrendo no Sul gaúcho e previsão da MetSul de chuva em todas regiões do Estado neste domingo, com a presença novamente de muita fumaça na atmosfera, não se pode descartar que volte a ocorrer chuva negra no território gaúcho e no Oeste de Santa Catarina entre amanhã e segunda-feira.